Vis├Áes da poesia de Yeats (2)

Vis├Áes da poesia de Yeats (2)

Nesta segunda cr├┤nica sobre W. B. Yeats, obede├ºo ├á conclama├º├úo que o poeta faz em┬á”O bal├úo da Mente”: ÔÇ£M├úos, fa├ºam o que vos ├® pedido:/Tragam o bal├úo da mente/Que intumesce e se arrasta ao vento/Para o seu estreito alpendreÔÇØ

Sob a luz de um anjo

Sob a luz de um anjo

O anjo de cada um de n├│s ÔÇô seria o tema desta semana. O “insight” me aconteceu com a releitura de trechos do livro ÔÇ£Os Anjos Necess├íriosÔÇØ, de autoria de Robert Alter

Cr├┤nicas da Am├®rica (final)

Cr├┤nicas da Am├®rica (final)

De volta ao lar, depois de um m├¬s pelos caminhos da Am├®rica, encerro estas cr├┤nicas de viagem. Exausto, sob os efeitos da “s├¡ndrome de Stendhal”, recolho-me ├á do├ºura feminina, onde encontro a Beleza e o convite ├á sensibilidade e ├á┬áconvers├úo, pois elas nos faz seres melhores, pois como diz Ad├®lia Prado: “mulher ├® desdobr├ível”

Cr├┤nicas da Am├®rica (2)

Cr├┤nicas da Am├®rica (2)

“Com o p├® na estrada” n├úo seria o mais apropriado para descrever as viagens intercontinentais, mas se aplica como express├úo meio surrada, mas ainda v├ílida para mostrar ao caminhante que quando se ganha mundo, dos p├®s v├¬m-nos as melhores met├íforas da viagem.

Ode ao mestre Segismundo Spina

Ode ao mestre Segismundo Spina

Professor que dedicou a vida aos estudos e pesquisas nas ├íreas de Filologia e Literatura do Medievo e que se tornou “Em├®rito” por seu talento, sua voca├º├úo para ensinar e seu amor ├á Idade M├®dia, Segismundo Spina ├® o homenageado nesta cr├┤nica

A alma do poeta e a eternidade

A alma do poeta e a eternidade

Deste que ├® considerado o maior poeta portugu├¬s p├│s-Fernando Pessoa, sabe pouco o leitor brasileiro, como de resto de toda a literatura de nossos conquistadores. Herberto Helder se imp├Áe ao leitor que desejar romper ÔÇ£o isolamentoÔÇØ, este ÔÇ£desconhecimento m├║tuoÔÇØ que separa Brasil e Portugal, no dizer do professor e poeta Claudio Willer.

João Filho: o talento, a coragem  e a transcendência do mundo

João Filho: o talento, a coragem e a transcendência do mundo

ÔÇô O que dizer do poeta Jo├úo (Fernandez) Filho e deste seu ÔÇ£Auto da romariaÔÇØ?
Bem, tenhamos como pressuposto: Jo├úo Filho ├® poeta que deve marcar seu nome na hist├│ria da poesia brasileira do s├®culo XXI. Seu lugar n├úo est├í reservado apenas entre os poetas cat├│licos, mas, com certeza entre os grandes da poesia de nossa ├®poca. E o que me leva a fazer tal aposta?