Dostoiévski e a perspectiva redentora

Dostoiévski e a perspectiva redentora

A escrita do autor russo caminha na borda do abismo. Joga-se em suas profundezas e, lá do fundo da lama, onde apenas os heróis não são completamente maculados pela sujeira, como afirmou o Homem do Subsolo, ele se levanta em ímpetos de fervor subindo novamente para as paragens seguras

Ateologia*

Ateologia*

A fé dos bolcheviques russos é uma fé implícita, de carvoeiro, uma fé de servos não menos que a dos seus avós. A ateologia é uma teologia

Abgar Renault e a poética pessimista

Abgar Renault e a poética pessimista

O olhar do poeta mineiro, sendo moderno, não faz da tradição literária um acervo ultrapassado, ou um utensílio de manipulação apenas. Reconhece que esse diálogo com o passado é uma via de mão dupla, isto é, um verdadeiro diálogo de troca

Por uma releitura de “Rei Lear”

Por uma releitura de “Rei Lear”

Se a tragédia, como bem percebeu Aristóteles, é a representação de homens superiores, o que faz de Lear superior? Podemos dizer que Lear é um herói trágico por excelência, pois ele concentra em si uma paixão e um desejo de ação que lhe serão fatais

Pertencer ao passado

Pertencer ao passado

“Um Amor Anarquista” desloca fatos históricos para construir uma narrativa contemporânea, que pretende falar de uma matéria atual: a falência das ideologias diante das forças individuais