As melhores entrevistas de 2016 do Jornal Opção

Mais de 52 personalidades, entre políticos e especialistas, se sentaram à mesa com a equipe do semanário para debater sobre a situação do Brasil e do mundo

Durante todo o ano, mais de 52 personalidades, entre políticos e especialistas em diversas áreas, se sentaram à mesa com a equipe do Jornal Opção para tratar dos mais diversos assuntos.

Sem apequenar qualquer uma delas, escolhemos as que, de alguma forma, marcaram o ano de 2016. Destaque para a do ex-prefeito José Gomes da Rocha (PTB), que foi morto em um atentado que chocou o Brasil.

Relembre:

José Gomes da Rocha (PTB)

Morto em um atentado no dia 28 de setembro, o ex-prefeito de Itumbiara, José Gomes da Rocha (PTB), concedeu entrevista ao jornal, quando falou de seu projeto para a cidade e relembrou suas gestões à frente do município no Sul goiano. Foi publicada na edição 2147, de 28 de agosto a 3 de setembro de 2016.

“Fui considerado um dos melhores prefeitos do Brasil e agora farei mais por Itumbiara”

José Antônio (PTB) 

Após a morte do padrinho político, o jovem deputado estadual José Antônio assumiu a candidatura do PTB à prefeitura de Itumbiara. Na entrevista, o prefeito eleito garante que manterá o projeto encabeçado por José Gomes da Rocha, seguindo o plano de governo apresentado na campanha.

“Os eleitores de Itumbiara votaram em mim em reconhecimento ao plano de governo de Zé Gomes para a cidade”

Wilson Ferreira Cunha

O professor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) fez duras críticas à educação brasileira, em especial durante os 13 anos da era PT. Segundo ele, o lulopetismo institucionalizou um “patrulhamento” na que pode ser comparado ao que viu quando estudou na União Soviética durante o período de Leonid Ilitch Brejnev, último ditador soviético. Claro que deu muita polêmica.

“Brasil levará ao menos 50 anos para se livrar da massificação que o PT criou na educação universitária”

Olmo Xavier

O goianiense Olmo Xavier, assessor especial da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, ficou responsável por viabilizar o percurso do fogo da tocha do esporte por 330 cidades brasileiras. Ele também participou da cerimônia do “handover”, quando representando o governo — então sob o comando de Dilma Rousseff (PT).

“Vamos ter uma boa Olimpíada, mas por conta da crise não estamos no clima”

Carlos Manhanelli 

Referência em maketing político, só o currículo de Carlos Manhanelli justifica a importância da leitura da entrevista. Publicitário, radialista, jornalista, sociólogo, cientista político, formado em Marketing, com quatro graduações, cinco pós-graduações lato sensu, um MBA e uma pós stricto sensu (mestrado em Comunicação Social, pela Universidade Metodista de São Paulo). Também presidente da Associação Brasileira de Consultores Políticos, professor em três universidades da Espanha — Salamanca, Camilo José Cela e Instituto Ortega y Gasset. Tem 18 livros publicados, o último deles lançado em 23 de abril, em Madrid (ainda sem versão em português), sobre consultoria política.

Na ocasião, o especialista fez uma previsão bem acurada da eleição de 2016.

“80% dos prefeitos que buscarem a reeleição vão se dar mal”

Fernando Machado 

Nesta entrevista, uma semana após o escândalo das UTIs, o secretário de Saúde de Goiânia, Fernando Ma­chado, que foi diretor do Samu em 2005 e diretor de Controle, Regulação e Ava­liação de 2009 a 2012, diz que “já tinha ouvido falar” do esquema, contudo negou participação e negligência da pasta. Segundo ele, uma sindicância foi aberta para apurar as suspeitas de fraude envolvendo servidores do Samu e uma “auditoria profunda” será realizada nos prontuários da instituição. Até hoje o resultado não foi divulgado.

“Já tinha ouvido falar de esquema na Saúde, mas não chegaram denúncias a mim”

Ana Elisa Gomes

Delegada há 12 anos, Ana Elisa Gomes foi a responsável por investigar a denúncia de um estupro que teria ocorrido na Universidade Federal de Goiás, nas imediações do prédio da Faculdade de Informação e Comunicação (FIC), no Campus Samambaia. Apenas uma testemunha — Daniel Bezerra da Silva Júnior, aluno do curso de Relações Públicas da instituição — e uma suposta vítima não encontrada. O desenrolar do caso foi surpreendente: três dias depois do fato, a gravação da filmagem do monitoramento revelou que o eloquente autor das postagens que denunciavam o estupro era a mesma pessoa que havia mudado a direção da câmera de segurança da faculdade que poderia desvendar o caso e identificar a menina.

“Se uma mulher tem medo de andar sozinha, a cultura do estupro existe de forma inquestionável”

Luciano Caixeta

Professor da Pontifícia Univer­si­dade Católica de Goiás (PUC-GO), Luciano Caixeta concedeu entrevista para comentar sobre o absurdo projeto da prefeitura de Goiânia para permitir prédios no Jardim Botânico. Segundo ele, a Operação Urbana Consorciada (OUC) Jardim Botânico pretendia mudar a paisagem da região da maior área verde de Goiânia, ao lado do Setor Pedro Ludovico.

“O futuro do Jardim Botânico deveria ser decidido pelas próximas gerações e não por nós”

Alexandre Baldy (PTN)

Ainda no segundo semestre de 2015, o procurador da República Helio Telho alertou, em entrevista exclusiva ao Jornal Opção sobre o escândalo de corrupção no BNDES. Nesta, o deputado federal Alexandre Baldy (PTN) relata o que viu na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apurou irregularidades na instituição. E, da investigação, não apresentou boas notícias aos brasileiros.

“O povo vai pagar meio trilhão de reais pela irresponsabilidade do BNDES”

Alessandro Stival

Médico com formação em cirurgia-geral, Alessandro Stival falou sobre dois temas polêmicos: a fosfoetanolamina, desenvolvida pelo pesquisador e químico Gilberto Chierice na Universidade de São Paulo (USP), cujo uso foi aprovado pelo governo federal sem que se passassem as fases necessárias de teste; e a cirurgia contra a diabetes de outro goiano, Aureo Ludovico, que chega a curar da doença 75% dos pacientes, conforme se comprovou agora com resultados de estudos apresentados nos Estados Unidos.

“O governo deveria colocar como prioridade uma força-tarefa para estudar a fosfoetanolamina”

Nathan Blanche

O economista Nathan Blanche, um dos maiores especialistas do País em câmbio, falou sobre os efeitos dilacerantes da crise econômica, que podem ser comparados – e ele os compara – aos de uma guerra, embora sigam de forma silenciosa. Na entrevista, ele comenta sobre as reformas propostas por Michel Temer (PMDB) e as perspectivas para 2017.

“Vai ser preciso muito tempo para recuperar o Brasil”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.