O senador Flávio Bolsonaro (PL) confidenciou a interlocutores que o pai, o presidente Jair Bolsonaro (PL), está disposto a repassar a faixa presidencial a Lula. Segundo o parlamentar, o vice-presidente Hamilton Mourão, senador eleito pelo Republicanos do Rio Grande do Sul, vem aconselhando o ex-capitão para comparecer à cerimônia de posse do sucessor.

Bolsonaro, que tem se mantido isolado e apático desde a derrota nas eleições, em 30 de outubro, está “bem mais animado”, afirmou Flávio. Aconselhado, o presidente vem se articulando para influenciar na eleição da presidência do Senado, onde conta com muitos aliados eleitos.

Filho mais velho do presidente, Flávio salientou que o ex-capitão já vem recebendo senadores no Palácio da Alvorada e pedindo votos para Rogério Marinho, ex-ministro do Desenvolvimento Regional, para concorrer a presidente da Casa com o senador Rodrigo Pacheco, que tentará a reeleição.

Vingança

O chefe do Executivo em exercício tem ouvido aliados e vê oportunidade de conquistar o comando do Senado para se “vingar” do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. É que os pedidos de impeachment dos ministros passam primeiro pelo presidente da Casa. Outra sinalização é “infernizar a vida de Lula”.

O partido do presidente, o PL, analisa ter o comando do Senado como prioridade. O senador Chico Rodrigues, ex-União Brasil, anunciou que irá filiar-se à legenda. Assim, a bancada de Valdemar Costa Neto se torna a maior, passando para 15 parlamentares. O cacique segue trabalhando para conquistar mais nomes antes do dia 2 de fevereiro, quando acontecerão as eleições no Congresso Nacional.