É sob responsabilidade do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Alexandre de Moraes que estão 12 investigações que podem tornar o presidente Jair Bolsonaro (PL) inelegível.

As ações no âmbito da Justiça Eleitoral são relatadas pelo ministro e corregedor eleitoral Benedito Gonçalves. No entanto, depois da liberação dos processos, será Moraes que definirá quando cada uma deve entrar em pauta de julgamento.

Além disso, no Supremo Tribunal Federal (STF) há munição suficiente para gerar mais dor de cabeça no ex-capitão. Lá, o “carrasco” também é Alexandre de Moraes, que relata os inquéritos das ‘fake news’, dos atos antidemocráticos e das milícias digitais.

Os inquéritos abrangem aliados do presidente e podem sobrar para dois dos filhos de Bolsonaro: Carlos e Eduardo.