Vereadores retiram pedido de indiciamento contra Leonardo Vilela de relatório da CEI

Item constava no texto final apreciado na manhã desta sexta-feira (18/5)

Leonardo Vilela, secretário da Saúde do governo de Goiás | Foto: Jornal Opção/Jornal Opção

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) de Saúde da Câmara de Goiânia votou, nesta sexta-feira (18/5), pela retirada do pedido de indiciamento contra o secretário estadual de Saúde, Leonardo Vilela, no caso de supostas irregularidades nos contratos com as Organizações Sociais (OSs), responsáveis pela gestão do Hospital Materno Infantil e Hospital Alberto Rassi (HGG).

O pedido constava no relatório final apresentado pelo vereador Elias Vaz (PSB). O trecho foi aprovado com indiciamento das OSs Instituto de Desenvolvimento Tecnológico é Humano (Idetech) e do Instituto de Gestão e Humanização (IGH), com destaque do pedido de indiciamento do secretário.

O pedido de retirada foi feito pela vereadora Dra. Cristina Lopes (PSDB). “Não peço que não se investigue, mas ressalto que o objeto da CEI é a Saúde do município de Goiânia”, argumentou.

Votaram contra a retirada do secretário apenas os vereadores Elias Vaz e o vereador Paulo Daher.

A denúncia da CEI aponta que são pagos 28 leitos de UTIs pelo Estado à OS do HMI que não estariam sendo ofertados à população. No caso do HGG, o número de vagas de UTIs registradas no Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES) é maior do que o que é realmente ofertado. A Secretaria Estadual de Saúde (SES) justificou que a prefeitura de Goiânia é que é responsável por atualizar o CNES.

Deixe um comentário