Senadores governistas vão ao STF contra Renan na CPI da pandemia

Renan Calheiros foi escolhido como relator do colegiado durante sessão de instalação na última terça-feira, 27

Renan Calheiros | Foto: Reprodução

Um mandado de segurança foi apresentado por senadores governistas que integram a CPI da Covid, ao Supremo Tribunal Federal (STF). O documento consiste na tentativa de tirar Renan Calheiros (MDB-AL), escolhido como relator do colegiado durante sessão de instalação na última terça-feira, 27.

Marcos Rogério (DEM-RO), Jorginho Mello (PL-SC) e Eduardo Girão (Podemos-CE) alegam que parlamentares que possuem parentesco em primeiro grau com possíveis alvos da investigação devem ser considerados impedidos, no caso, Renan é pai do governador de Alagoas.

A medida também poderia afetar outro senador do MDB, Jader Barbalho (PA), que é pai do governador do Pará, Helder Barbalho, já que Jader ocupa vaga de suplente na Comissão.

Os parlamentares argumentam por requerimentos apresentados para localizar processos que indiquem possíveis desvios de recursos federais na pandemia. Os requerimentos ainda dependem da aprovação da maioria da comissão, sendo que os governistas estão em minoria, com quatro dos 11 membros titulares. Durante a sessão de instalação da CPI,  os governistas tentaram impedir a indicação de Renan, o que não funcionou.

(Com informações do Jornal O Globo).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.