“Se foi ilegal, a gente vê lá na frente”, diz Bolsonaro sobre denúncia contra chefe da Secom

Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que o chefe da Secretaria Especial da Comunicação Social (Secom) da Presidência, Fabio Wajngarten, continua no cargo

Presidente Jair Bolsonaro | Foto: Reprodução

“Se foi ilegal, a gente vê lá na frente”, disse o presidente Jair Bolsonaro ao sair do Palácio da Alvorada na manhã desta quinta-feira, 16, sobre o conflito de interesse relatado por reportagem da Folha de São Paulo que envolve o chefe da Secretaria Especial da Comunicação Social (Secom) da Presidência, Fabio Wajngarten.

Bolsonaro disse que Wajngarten segue no cargo. até agora, tá tudo legal com o Fabio. Vai continuar. É excelente profissional. Se fosse um porcaria, como têm muitos por aí, ninguém tava falando”, disse.

A reportagem mostra que o chefe da Secom, que define gastos publicitárias do governo, ao mesmo tempo em que se mantém como sócio principal de uma empresa que recebe de emissoras e agências de publicidade beneficiadas.

Segundo a Folha, Wajngarten permanece como sócio da FW Comunicação e Marketing. Ele tem agências e TVs como clientes, entre eles a Band e a Record, que também recebem do governo, e cuja participação na verba publicitária da Secom vem crescendo nos últimos anos.

A prática implica conflito de interesses e pode configurar improbidade administrativa. A lei “proíbe integrantes da cúpula do governo de manter negócios com pessoas físicas ou jurídicas que possam ser afetadas por suas decisões”.

Wajngarten fez um pronunciamento à imprensa na última quarta em que disse que a reportagem não foi justa, equilibrada, nem parcial. “A matéria tem nome e sobrenome. E, se determinados grupos de comunicação ou institutos de pesquisa tinham em mim a tentativa de construção de uma ponte de diálogo, essa ponte foi explodida agora”, disse.

Na última quarta-feira, Wajngarten fez um pronunciamento à imprensa. Na fala, ele contou sua história como empresário do ramo de medição de audiência e se recusou a responder às perguntas dos repórteres.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.