PGR se reúne com grevistas do MPU, mas ainda não há acordo

Secretário-geral recebeu servidores em Brasília para encontrar soluções após Congresso aprovar Orçamento sem dotação para recomposição salarial da categoria

Reunião do MPU acaba sem soluções concretas | Foto: divulgação

Reunião do MPU acaba sem soluções concretas | Foto: divulgação

O secretário-geral da Procuradoria-Geral da República (PGR), Lauro Cardoso Pinto, se reuniu na tarde/noite da última quarta-feira (18/3), em Brasília, pela primeira vez durante os 40 dias de greve dos servidores do Ministério Público da União (MPU), com os representantes da categoria.

Na pauta, a discussão de possíveis medidas a serem tomadas para atender os pleitos da categoria após o Congresso Nacional ter aprovado o Orçamento 2015 sem incluir a dotação necessária à recomposição salarial da categoria ainda este ano.

Durante o encontro — que contou com a participação do diretor regional do Sinasempu em Goiás, Gilmar Barros –, o secretário-geral fez um apelo para que o servidor goiano José Siqueira Júnior suspendesse a greve de fome porque o canal de negociação com a Administração havia sido aberto.

Em uma cadeira de rodas, Siqueira, foi levado à frente pelos colegas para externar sua indignação com a desvalorização da categoria e “o processo contínuo de sucateamento do Ministério Público da União”.

De acordo com informações da assessoria do Sinasempu, Lauro Cardoso Pinto sinalizou com o atendimento de alguns pleitos administrativos dos servidores, mas ressaltou que isso ainda depende “de outras instâncias deliberativas”.

A pauta dos pleitos administrativos da categoria inclui demandas como o abono das faltas resultantes da greve, a redução imediata da carga-horária diária de trabalho para seis horas, progressão funcional e outras medidas para minimizar as perdas salariais que já se acumuladas nos últimos nove anos.

Apagão

Os servidores do Ministério Público da União deliberaram, em assembleia geral realizada no início da tarde de ontem (18/3) em Goiânia, realizar apagão geral nesta quinta (19) – com grevistas e servidores que ainda não aderiram ao movimento paredista – das 13 às 16 horas, na sede do Ministério Público Federal, localizado próximo ao Paço Municipal, onde a presidente Dilma Rousseff participará de evento.

Atualmente, a paralisação já atinge 70% dos servidores do MPU em Goiás.

O acampamento dos servidores do MPU em frente à Procuradoria-Geral da República, em Brasília, continuará montado até que a Administração adote medidas efetivas para a valorização da categoria.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.