Na 17ª posição, UFG se destaca em ranking universitário. PUC Goiás e UEG despencam

Universidade federal goiana subiu cinco posições em relação ao ano passado e fica entre as vinte melhores do País 

Imagem aérea da UFG, a melhor de Goiás | Foto: reprodução

Imagem aérea da UFG, a melhor de Goiás | Foto: reprodução

A Folha de São Paulo liberou, nesta segunda-feira (14/9), o Ranking Universitário Folha (RUF), que lista as melhores universidades do Brasil. A goiana mais bem posicionada é a Universidade Federal de Goiás (UFG), que ocupa a 17ª colocação.

A Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) aparece na 114ª posição, atrás da Universidade Paulista (Unip), que é a 69ª colocada — veja abaixo a imagem com o ranking das goianas.

O primeiro lugar da lista ficou com a Universidade de São Paulo (USP), repetindo o resultado de anos anteriores.

O ranking avalia 192 instituições de ensino superior, considerando fatores como pesquisa, inovação, internacionalização, ensino e mercado. Também integram a lista Universidade Estadual de Goiás (141º), a Universidade Salgado de Oliveira (151º) e a Universidade de Rio Verde (170º).

Vale ressaltar que a UFG subiu cinco posições, saindo do 22º lugar, em 2014, para o 17º, em 2015. A PUC Goiás caiu da 94ª posição, em 2014, para a 114ª neste ano. A maior queda observada foi a da Universidade Estadual de Goiás (UEG), que despencou do 113º lugar para o 141º.

indicativos

Clique na imagem para ampliá-la | Foto: reprodução / Folha de S. Paulo

 

7 respostas para “Na 17ª posição, UFG se destaca em ranking universitário. PUC Goiás e UEG despencam”

  1. Avatar Gabriel Mendes disse:

    A PUC-GO por ser particular e por desinteresse geral dos estudantes fica nessa posição horrorosa. Estudantes de um modo geral querem a certificação, e portanto, se danam com aproveitamento dos recursos financeiros que muitas das vezes seus pais é que aplicam. Lembro-me claramente do momento que o Vaticano aceitou a antiga UCG se transformar em PUC e a matéria do reitor Wolmir incitando a comunidade acadêmica a se dedicar aos estudos e valorizar aquela instituição.
    Fazer o quê né!!!! Estudantes universitários são doutrinados por mestres, doutores e especialistas, que de nada entendem de vida e sim do conteúdo de suas disciplinas. São normalmente toscos e metidos a progressistas perante os discipulandos, dando vazam à rebeldia e à desvalorização da família e outros valores essenciais ao bom desempenho do ser humano.

  2. Avatar Robson Mendonça Pereira disse:

    Só tenho a parabenizar a Universidade Federal de Goiás (UFG) por sua posição de destaque entre as melhores instituições do país. Minha esposa e vários amigos atuam lá e fico muito honrado com isto. Minha tristeza e a constatação da realidade, vem do fato de que atuo na Universidade Estadual de Goiás (UEG) que despencou absurdamente no ranking da Folha de S. Paulo quase trinta degraus. Num universo de 192 universidades, a UEG ficou 141º posição, atrás da Univ. do Vale do Acaraú (UVA), e só um pouco acima da UNIVERSO. Estamos no grupo das piores instituições. No ano passado se comemorou em alto e bom som nossa subida para 113º posição no RUF. E agora? Como docente efetivo dessa instituição a 16 anos, que participei da criação de um dos únicos 10 mestrados reconhecidos pela Capes, isto significa a destruição da instituição. Entramos num buraco sem saída, e que só vai piorar com a falta de força política e vontade dos administradores (Estado de Goiás) de tomar a iniciativa de fechar muitos de seus 42 campus e cursos deficitários (na maioria na área de licenciatura, repetidos e enviáveis), diminuir o quadro de comissionados e temporários, um verdadeiro enxugamento necessário e previsível.

  3. Avatar Newton Paulo Monteiro disse:

    Investimento em pesquisa, pedidos de patentes, reputação pelo ensino, reputação da pesquisa – esses são os critérios que ranqueiam as instituições. O que falta é o investimento em pesquisa por parte de instituições particulares e de algumas públicas. É interessante que as dezoito primeiras são públicas, onde o investimento em pesquisa é mais forte. É com pesquisa e inovação que se alcança um melhor desenvolvimento tecnológico e socioeconômico como comprova a história de todos os países que fizeram a escolha por esse caminho. Nesse sentido, é lamentável que a nossa melhor universidade não esteja nem entre as 200 melhores do mundo. Já para a UFG, a pequena subida no ranking é motivo de celebração. Tomara que mantenha e que as outras também cresçam, pois isto será bom para todo o estado.

  4. Avatar Murilo Silva disse:

    Esse ranking não serve muito de base. Cadê o Instituto Federal de Goiás e o Instituto Federal Goiano? Pois juntamente com a UFG, são as 3 melhores instituições superiores do estado!

    • Avatar Gabriel disse:

      O ranking só avalia universidades, pois entende que os institutos não são categorizados dentro de universidades. Pode reparar que nenhum IF do país está no ranking, justamente por causa disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.