Jovair Arantes sobre 2016: “Não temos compromisso com nenhum partido”

Deputado federal nega que tenha havido conversas com PMDB, mas, apesar de apresentar nomes para prefeitura, não descarta aliança com a sigla em Goiânia

Deputado federal Jovair Arantes (PTB) nega conversações com PMDB e SD, mas não descarta aliança | Foto: Facebook Jovair Arantes

Deputado federal Jovair Arantes (PTB) nega conversações com PMDB e SD, mas não descarta aliança | Foto: Facebook Jovair Arantes

O deputado federal Jovair Arantes (PTB) não é marinheiro de primeira viagem. Um dos parlamentares mais influentes do governo Dilma, ele defende as medidas econômicas adotadas em 2015 pela presidente petista e afirma que a insatisfação é natural e importante. “Satisfeito ninguém está, ninguém fica”, resume ele.

A frase foi usada, inclusive, para definir, também, o status da relação com o governador Marconi Perillo (PSDB) — do qual é aliado desde as eleições de 1998. Após muito se falar sobre uma crise entre o tucano-chefe e o petebista, Jovair dá a entender que são águas passadas. “Cotinuamos na base. Ajudamos a elegê-lo. Se está aí há quatro mandatos — cinco se contar o do ex-governador Alcides — muito se deve ao nosso trabalho”, explicou.

Questionado se o motivo da desavença teria sido por falta de espaço no governo, Jovair se adianta em findar a especulação: “Não é por espaço. Gestos valem muito mais que palavras”. O PTB não foi convidado a nenhuma das supersecretarias do quarto mandato do governador Marconi.

Assertivas como essa geraram, nos últimos dias, teses de que o PTB estaria se aproximando do Solidariedade de Armando Vergílio e até do PMDB de Iris Rezende. Todas negadas por Jovair. “Não procuramos ninguém, mas vamos conversar com todo mundo”, completa.

De acordo com o deputado, o PTB tem crescido de forma orgânica em Goiás. Tal crescimento tem (e deveria ter sido no âmbito estadual) que ser reconhecido: “O objetivo é aumentar o número de prefeitos e vereadores em todo o Estado”.

Para tanto, Jovair deixa claro que não está alinhado com nenhum projeto político. Embora na base governista no âmbito estadual, sugere que pode se aliar a opositores para as eleições de 2016 em Goiânia. Isso se não lançar candidato próprio: “Temos bons nomes, como os deputados estaduais Talles Barreto e Henrique Arantes [seu filho]”.

Jovair Arantes trabalhou por Eduardo Cunha, do PMDB, para a presidente da Câmara Federal | Foto: reprodução / Facebook Jovair Arantes

Jovair Arantes: não tão longe assim da oposição. Trabalhou por Eduardo Cunha, do PMDB, para a presidente da Câmara Federal | Foto: reprodução / Facebook Jovair Arantes

Se não der, avisa: “Não temos compromisso com nenhum partido e poderemos ter com qualquer um”.

DEM + PTB

No plano nacional, há a possibilidade do Democratas, partido oposicionista do senador Ronaldo Caiado, se fundir com o PTB, mantendo o nome do último. A coluna Bastidores da edição 2069 do Jornal Opção trouxe a informação de que, caso haja mesmo a fusão, deputados alinhados com o governo Dilma deixariam a sigla. Entre eles, Jovair Arantes.

“Não tem nada disso”, rebate o deputado. De acordo com ele, a discussão de união dos dois partidos é muito nova e o processo deve “ir longe”. Para explicar que não deixaria o PTB, Jovair evocou até as cores da bandeira do time que torce, o Atlético Goianiense, lembrando que são as mesmas do partido. “Quem construiu o PTB em Goiás fui eu. Quando o assumi, era apenas um partido de gaveta”, lembra ele.

O deputado federal reconhece, ainda, que se identifica com o propósito do partido, que é de defender o trabalhador. E, para ele, caso venham deputados do DEM, não será nenhum problema: “Eu mesmo faço críticas à presidente Dilma. É normal questionar o governo”.

Sobre o senador Caiado — crítico ferrenho do petismo –, Jovair se restringe a dizer que nunca teve problemas com ele, mas lembra que o DEM só está acabando porque é estreito, “partido político não pode ser tão rígido”.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.