Três projetos de lei estão na pauta desta terça-feira (17/10) para abrir os chamados créditos suplementares

Iris durante prestação de contas na Câmara | Foto: Alberto Maia

A gestão do prefeito Iris Rezende (PMDB) encaminhou à Câmara Municipal três projetos de lei que pedem autorização para a abertura de créditos suplementares em valores que superam R$ 2,6 milhões. Todos estão na pauta e devem ser votados ainda nesta terça-feira (17/10)

Em meio à crise financeira que afeta diversos serviços básicos, o Paço pede R$ 74 mil a mais do previsto no orçamento aprovado no ano passado para a Secretaria Municipal de Educação e Esporte, R$ 2 mil para a Secretaria Municipal de Administração, e vultuosos R$ 2,5 milhões para diversas pastas (como a Procuradoria Geral do Município; Secretarias de Assistência Social (Semas); Direitos Humanos; de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT); e também para o Instituto de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais (Imas).

Para 2018, os vereadores aprovaram dentro da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) um verdadeiro cheque em branco ao prefeito Iris Rezende (PMDB), garantindo que o Executivo possa gastar 21% do Orçamento (de cerca de R% 5 bilhões) sem autorização legislativa.