Governistas apresentam votos em separado para flexibilizar PEC do Teto

Seis deputados da base aliada propõem retirar Educação, Saúde e Segurança Pública da limitação de gastos

Simeyzon Silveira, Henrique Arantes e Lissauer Vieira | Fotos: Marcos Kennedy e Y. Maeda

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) deu início à discussão do relatório do deputado estadual Gustavo Sebba (PSDB) à PEC do Teto de Gastos do governo de Goiás na tarde desta terça-feira (25/4).

Logo no começo da sessão, seis governistas apresentaram voto em separado ao proposto pelo relator, que pede aprovação — mas com algumas ressalvas. Entre elas, a mudança no cálculo do teto, o prazo de revisão da PEC e a extinção da criação de uma conta única no estado (termos acordados com o governo).

No entanto, os titulares Lissauer Vieira (PSB), Simeyzon Silveira (PSC), Henrique Arantes (PTB), Francisco Jr (PSD), e os suplentes Carlos Antônio (PDT) e Virmondes Cruvinel (PPS) querem que sejam excluídas da limitação de gastos a Educação, a Saúde e a Segurança Pública.

Além deles, Humberto Aidar (PT) e os deputados em conjunto Luis Cesar Bueno (PT) e José Nelto (PMDB) apresentaram votos em separado.

Previsto para ser votado hoje, o relatório foi postergado, após pedido de vista do líder do governo, Chiquinho Oliveira (PSDB). Ele articula a aprovação do texto do relator na CCJ na íntegra para que chegue ao plenário e, lá então, sejam discutidas as emendas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.