Goiás registra superávit de mais de US$ 2 bilhões no acumulado janeiro-agosto

Governador Marconi Perillo comemorou dados apresentados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e projetou saldo ainda maior para o final do ano

| Foto: Eduardo Ferreira

Governador acompanhado do secretário de Desenvolvimento, Luiz Maronezi, no anúncio dos dados comerciais de janeiro a agosto de 2016 | Foto: Eduardo Ferreira

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), comemorou, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (12/9), os resultados positivos da economia do Estado nos primeiros oito meses do ano. Para ele, os números mostram que a tendência de Goiás é fechar o ano com superávit, mesmo em cenário de crise enfrentada no âmbito nacional.

Segundo os dados apresentados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SED), Goiás fechou o mês de agosto com crescimento de 15,31% nas exportações, média superior à nacional, que foi de 9,71%. Além disso, enquanto o Brasil registrou retração de 3,7% no acumulado de janeiro a agosto, Goiás fechou o mesmo período com crescimento de 11,35%.

O saldo final, de US$ 2,6 bilhões, é resultado de exportações na ordem de R$ 4,3 bilhões contra R$ 1,7 bilhões em importações. Para o governador, a expectativa é de que os resultados melhorem nos próximos meses. “Eu espero chegar ao final do ano com mais US$ 3,5 bilhões de superávit exportador dado a todo o trabalho que está sendo feito pela SED e pelo Governo de Goiás”, projetou ele.

“Os dados confirmam uma tendência de superávit nesses 32 meses mais recentes, ou seja, é o trigésimo segundo mês em que a balança comercial em Goiás registra saldo positivo”, pontuou Marconi. “É um desempenho espetacular, considerando a crise vivida pelo Brasil e isso significa que Goiás vai saindo da crise ao enfrentá-la com muitas parcerias e com muitas ações do governo com o setor privado.”

Entre as parcerias que ele mais destaca está a oferta de incentivos para atrair empresas para o Estado. Ele destaca, por exemplo, a possibilidade de a camisaria Dudalina se instalar em Goiás. “Nós temos oferecido os protocolos e incentivos, e se conseguirmos atrair a Dudalina para Goiás, nós estaremos marcando um grande ponto, já que é uma das principais empresas de confecção do Brasil”, ressalta.

Para Marconi, a diversificação é fundamental para o desenvolvimento do Estado: “Goiás e o Centro-Oeste são estados diferenciados, porque nós temos aqui uma economia muito diversificada e temos também uma força muito grande no agronegócio. O fato de não termos ficado parados, de termos formado aqui grandes polos automotivo, metal-mecânico, de confecções, de medicamentos, polos turísticos expressivos, polos de serviços, de tecnologia de informação, isso tudo contribui para que nossa economia se diversifique”.

Os resultados, aponta, são palpáveis: “Goiás exporta mais de 420 produtos pro exterior, para mais de 150 países ao redor do mundo, e teve um superávit de quase 3 bilhões nos primeiros oito meses do ano”, resume.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.