Frente Parlamentar Mista do Brasil Central é criada

Proposta é do deputado federal goiano Thiago Peixoto. Ideia é de que frente seja voz de Movimento Brasil Central no Congresso

Secretário de Gestão e Planejamento, Thiago Peixoto | Foto: Humberto Martins

Proposta é do deputado federal goiano Thiago Peixoto, que saiu da Secretário de Gestão e Planejamento há alguns dias | Foto: Humberto Martins

Com a confirmação e conferência formal de 198 assinaturas de deputados federais e senadores, foi registrada esta semana a Frente Parlamentar Mista do Brasil Central. A proposta é do deputado federal goiano Thiago Peixoto (PSD). “Nossa meta é conseguir apoio parlamentar para defesa das políticas públicas que vão surgir do bloco de seis unidades da federação que compõem o Movimento Brasil Central”, explica Thiago.

A tendência é que o goiano seja indicado para presidente e o colega de partido Rogério Rosso, líder do PSD na Câmara, fique na vice. “Temos um bom diálogo e isso vai facilitar os trabalhos e até o engajamento de colegas das unidades da federação em questão, pois o deputado Rosso tem grande trânsito no Congresso e mesmo no governo”, afirmou Thiago.

Ele se afastou da Secretaria de Gestão e Planejamento de Goiás (Segplan) esta semana para retomar o mandato parlamentar. Além da criação da frente, Thiago também reassumiu para apresentar emendas ao Orçamento da União.

O Movimento Brasil Central (MBrC) foi criado em julho deste ano, em Goiânia, e conta com a presença os governadores de Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia. O bloco já está consolidado e aprovou a criação do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central. De acordo com Thiago, é o primeiro do tipo no Brasil e será responsável por formular e executar políticas públicas de interesse da região.

O deputado estadual afirmou ainda que além de buscar investimentos públicos, o consórcio também vai se movimentar no sentido de captação de recursos junto à iniciativa privada, seja por meio de concessões ou de parcerias público-privadas (PPP).

“É claro que intenção é se articular para garantir recursos federais e mudar a lógica de funcionamento das agências de desenvolvimento regional, as que administram os fundos constitucionais, mas os governadores também vão se movimentar em busca de parcerias fora da esfera pública”, reforça o goiano.

A Frente Parlamentar Mista do Brasil Central, nesse sentido, vai servir como um instrumento representativo do bloco dentro do Congresso. Segundo Thiago, na Câmara existem dezenas de frentes. No entanto, esta tem um perfil diferente devido à forte articulação dos Estados. A expectativa é que ela seja a voz da região dentro do parlamento.

“Temos um peso significativo, pois, em tese, contamos com o apoio das bancadas de cinco estados e do DF na Câmara dos Deputados e no Senado. Um diferencial importante é que o bloco é apartidário. Nesse sentido, ninguém será contra uma política pública que favorecerá toda a região”, explica.

Bloco

A ideia para formação do bloco surgiu de uma conversa, no final do ano passado, entre Thiago Peixoto e o ex-ministro Roberto Mangabeira Unger, durante uma visita do goiano aos Estados Unidos.

Na ocasião, o deputado foi à Universidade de Harvard falar sobre os avanços educacionais goianos e encontrou com o professor Mangabeira. “Descobrimos uma ideia em comum: a possibilidade de criação de uma agenda de desenvolvimento a partir da região central do Brasil”, relembra Thiago.

Mangabeira, já ocupando a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (cargo que deixou no mês passado), foi a Goiânia em meados de junho deste ano e, durante um evento do governo, fez o desafio ao governador Marconi Perillo (PSDB-GO): ele deveria liderar um movimento regional de desenvolvimento. A provocação foi aceita e, assim, o 1º Fórum dos Governadores do Brasil Central ocorreu em Goiânia, já no início de julho.

De lá para cá, ocorreram reuniões em Cuiabá (agosto), Palmas (setembro) e Campo Grande (outubro). O modelo dos encontros prevê uma conferência de secretários de planejamento e assuntos estratégicos um dia antes, quando é preparada a pauta para os governadores.

A próxima reunião será em Brasília, nos dias 10 e 11 de novembro, quando será escolhido o presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central, cuja sede funcionará em Brasília, em um prédio do Banco de Brasília (BRB), na Epia Sul.

A presidência será ocupada por um dos governadores do bloco. A expectativa é que a Frente Parlamentar Mista do Brasil Central seja lançada oficialmente nessa oportunidade. “Independente disso, já começaremos a articulação junto aos nossos colegas parlamentares”, completa Thiago Peixoto.

Deixe um comentário