Em Goiás, índices de criminalidade registram queda no primeiro trimestre

Estado apresenta redução em 11 das 12 modalidades criminais consideradas de alta prioridade, diz SSPAP

Balestreri durante operação da SSPAP: “É uma ação que demonstra, mais uma vez, que os goianos podem se sentir seguros”

A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) de Goiás divulgou, nesta terça-feira (4/4), relatório que aponta queda em 11 das 12 modalidades criminais de alta prioridade no primeiro trimestre.

 

Na comparação com o mesmo período do ano passado, os homicídios recuaram 23,64%, enquanto as tentativas de homicídios caíram 34,48% e os latrocínios, 61,9%. Os estupros cederam em 28,57%.

Já os roubos apresentaram queda nas quatro naturezas levantadas: a transeuntes (-25,31%), de veículos (-34,8%), em comércios (-31,47%) e em residências (-31,64%). Os furtos de veículos tiveram recuo de 27,5%, ao passo que os furtos em comércios e a transeuntes retrocederam, respectivamente, em 16,48% e 25,06%. Apenas os furtos em residências oscilaram positivamente em 1,71%.

Segundo a SSPAP, a sequência de índices positivos é resultado da política implantada pelo vice-governador José Eliton (PSDB) e sequenciada pelo novo titular da pasta, Ricardo Balestreri, também recentemente eleito novo presidente do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual. As medidas reúnem ações ostensivas, atividades conjuntas das forças policiais, investimentos em inteligência e tecnologia.

No mês passado, as estatísticas demonstraram também queda em 11 das 12 modalidades criminais em todo o estado de Goiás.  Houve queda nos homicídios (-20,09%), estupros (-28,33%), tentativas de homicídios (-27,33%), latrocínios (-41,18%), roubos a transeuntes (-19,52%), roubos de veículos (-23,96%), roubos em comércios (-22,3%), roubos em residências (-11,33%), furtos de veículos (-20,49%), furtos em comércios (-4,3%), e furtos a transeuntes (-20,47%). Os furtos em residência evoluíram 10,67%.

Imagem: divulgação

Capital

O relatório mostra que os homicídios caíram em Goiânia no primeiro trimestre. Se comparado com o mesmo período do ano passado, a queda representa 55,22%. As demais naturezas divulgadas também apresentaram redução: os estupros diminuíram (-46,34%), as tentativas de homicídios (-46,26%), latrocínio (-20%), roubos a transeuntes (-28,39%), roubos de veículos (-44,33%), roubos em comércios (-30,98%), roubos em residências (-27,74%), furtos de veículos (-39,23%), furtos em comércios (-30,81%), furtos em residências (-7,71%) e furtos a transeuntes (-23,27%).

Em março, os homicídios e as tentativas de homicídios caíram 13,16% e 17,24%, nessa ordem. Os roubos a transeuntes retrocederam 23,9%. A queda nos roubos de veículos chegou a (-28,63%) e nos roubos em comércios a (-16,67%). Na categoria furtos, apresentaram recuo os furtos de veículos (-39,37%), furtos em comércios (-28,8%) e furtos a transeuntes (-14,15%). Por outro lado, os roubos em residências aumentaram 3,85% e os furtos em residências 0,17%. Ocorreram dois casos de latrocínios no mês, contra nenhum em março de 2016.

Aparecida de Goiânia

Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana, apresentou redução nos índices criminais nos três primeiros meses de 2017. O município já acumula queda de 53,49% nos crimes de homicídios, de 47,37%, em estupros; 45,76% nas tentativas de homicídios e de 50% nos latrocínios.

Os roubos a transeuntes regrediram 24,41%, e os roubos de veículos, 39,72%; roubos em comércios (-3,19%) e roubos em residências (-11,54%). A categoria de furtos mostrou as seguintes reduções: furtos de veículos, (-38,51%); furtos em comércios (-39,19%); furtos em residências (-2,95%), e furtos a transeuntes com queda de 28,16%.

Os índices referentes a março mantiveram-se também na descendente: a queda nos números de homicídios chegou a (-33,33%), as tentativas de homicídios recolheram (-58,33%) e não houve latrocínio na cidade durante o mês passado. Também apresentaram redução, os roubos a transeuntes (-3,55%), roubos de veículos (-28,77%), roubos em comércios (-4,62%), roubos em residências (-6,35%), furtos de veículos (-32,71%), furtos em comércios (-34,92%) e furtos a transeuntes (-56,82%). Os furtos em residências, com crescimento de 21,4%, foi o único com evolução dentro do mês.

Anápolis

De acordo com a SSPAP, em Anápolis, o relatório trimestral aponta queda de 47,83% nos homicídios e de 88,89% nos estupros, mas crescimento de 5,88% nas tentativas de homicídios. Os latrocínios estão 66,67% abaixo dos índices do ano passado. Os roubos a transeuntes baixaram 30,4%, ao passo que o recuo nos roubos de veículos chegou a 31,72%. Os roubos em comércios diminuíram 71,48% e em residências 50,77%. Houve queda, ainda, nos furtos de veículos (-14,35%) e em comércios (-7,41%). Os furtos em residências e a transeuntes cresceram, pela ordem, 43,96% e 20,37%.

Em março, a criminalidade no município mostrou queda de 38,89% nos homicídios e de 100% nos estupros (não foi registrado nenhum caso). Houve redução nas modalidades de roubos a transeuntes (-26,74%), roubos de veículos (-40,3%), roubos em comércios (-73,03%), roubos em residências (-6,67%). Entretanto, houve aumento em todas as naturezas de furtos: veículos, 77,19%; furto em comércio, 24,44%; furto em residência, 45,45% e furto a transeuntes, 42,11%.

Entorno de Brasília

As estatísticas de criminalidade, de janeiro a março, mostram que o Entorno do Distrito Federal apresentou redução em 10 modalidades criminais. Uma manteve-se estável e outra apresentou crescimento.

Os homicídios na região acumulam queda de 15,43%, as tentativas de homicídios de 37,33% e os latrocínios cederam em 52,63%. Os roubos a transeuntes recuaram 21,22%, roubos de veículos (-32,75%), roubos em comércios (-25,85%), roubos em residências (-45,25%), furtos de veículos (-13,28%), furtos em residências (-10,07%) e furtos a transeuntes (-44,16%). Os crimes de estupros seguem estáveis, enquanto os furtos em comércios evoluíram em 2,33%.

O relatório mostra que, em março, os homicídios registraram redução de 15,25%. As tentativas de homicídios caíram 27,78% e os latrocínios cederam em 42,86%. Houve queda nos índices dos roubos a transeuntes (-21,85%), roubos de veículos (-22,51%), roubos em comércios (-14,67%) e roubos em residências (-40,63%), furtos em residências (-11,51%) e furtos a transeuntes (-20%). Os furtos de veículos e furtos em comércios, por outro lado, apresentaram alta de 2,5% e 20,34%, respectivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.