Com apoio de Alckmin, Marconi deve ser confirmado presidente do PSDB nacional

“Folha de S. Paulo” destaca articulações em torno da escolha do novo comando da legenda 

Em mais uma reportagem sobre as articulações do PSDB com vistas a 2018, o jornal “Folha de S. Paulo”, veicula, nesta terça-feira (12/9), informação de que o governador de Goiás, Marconi Perillo, deverá comandar a legenda nacionalmente, com o apoio do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

O governador paulista inicia nesta terça-feira um giro pelo Brasil para fortalecer sua pré-candidatura internamento no PSDB, começando por Minas Gerais. Segundo a Folha, o movimento principal de Alckmin em Minas será dia 29, quando discursará no encontro do PSDB no Estado.

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, Marconi disse que as prévias são “o instrumento mais legítimo para a escolha” do presidenciável do partido para a disputa pelo Palácio do Planalto em 2018. “Prévias são um instrumento democrático de escolha. Elas devem ser mantidas, caso haja mais de um pré-candidato. Por mais que fiquem fissuras, é o instrumento mais legítimo e democrático que um partido pode ter”, disse o governador.

Marconi afirmou acreditar que, pela tradição de consenso interno no PSDB para a escolha do candidato presidencial, não será necessário promover as prévias entre o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito paulistano, João Doria, principais nomes do partido para o Planalto.

“Mas não creio que haverá entre Geraldo e Doria”, disse Marconi . “Não vejo em nenhum deles disposição para qualquer tipo de dissenso. Estou seguro de que haverá uma convergência entre eles e de que prevalecerá o bom senso, o compromisso maior com o projeto de vitória”, assinalou.

A exemplo da Folha de São Paulo, o Estadão também noticiou que o governador goiano é “o favorito para assumir o comando do PSDB e liderar o partido na campanha presidencial de 2018”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.