Inicia-se nesta segunda-feira, 5, o julgamento do jogador de futebol brasileiro Daniel Alves, que está detido na Espanha há um ano. Ele enfrenta a acusação de agressão sexual a uma mulher de 23 anos em uma boate de Barcelona. A audiência ocorrerá ao longo de três dias consecutivos, com término previsto para quarta-feira, 7.

O atleta brasileiro alega inocência e sustenta que a relação sexual foi consensual, embora tenha variado sua versão sobre o caso em diversas ocasiões, mudado de equipe de defesa e visto três solicitações de liberdade provisória serem negadas.

Presidindo o julgamento estará a juíza Isabel Delgado Pérez, acompanhada pelos magistrados Luís Belestá Segura e Pablo Diez Noval. A audiência está agendada para começar às 10h (6h no horário de Brasília), e espera-se que Daniel Alves deponha no primeiro dia, juntamente com o testemunho de seis pessoas.

No segundo dia, outras 22 pessoas serão ouvidas, totalizando 28 testemunhas. O terceiro dia será dedicado à análise de evidências periciais, incluindo imagens das câmeras de segurança da boate onde ocorreu o incidente e exames médicos realizados pela denunciante.

A penalidade para esse tipo de crime na Espanha é de até 12 anos de prisão. Não há um prazo definido para o anúncio da sentença. Enquanto isso, Daniel Alves permanecerá detido de forma preventiva. Embora a acusação solicite 12 anos de prisão (a pena máxima) e o Ministério Público, nove anos, a tendência é que, se condenado, o jogador brasileiro cumpra no máximo seis anos de reclusão.

Isso se deve ao fato de que, no início do processo judicial, a defesa do atleta fez um pagamento de 150 mil euros (cerca de R$ 800 mil) à Justiça como compensação à jovem. A advogada da mulher questiona a possível redução da pena.

O Tribunal de Barcelona rejeitou o pedido do Ministério Público da Espanha para que o julgamento de Daniel Alves fosse realizado a portas fechadas. Os magistrados decidiram conduzir as sessões de forma pública, permitindo a presença da imprensa, porém restringindo a captação de áudio e imagem.

Leia mais: