A mais recente edição do Anuário da Cerveja, divulgada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), mostra que o setor cervejeiro cresceu 11,6% em 2022, com a abertura de 180 novos estabelecimentos. Ao todo, o Brasil registra 1.729 cervejarias. Não houve diminuição do número de estabelecimentos em nenhuma unidade da Federação.

O destaque vai para Minas Gerais que, com aumento de 33 cervejarias registradas, superou Santa Catarina em 2022 e alcançou a terceira posição no ranking com 222 estabelecimentos. São Paulo se mantém como o primeiro Estado com maior número de cervejarias registradas, com total de 387 estabelecimentos, seguido do Rio Grande do Sul com 310 cervejarias.

Segundo o mestre cervejeiro goiano Kanji Iwamoto Jr este crescimento está atrelado à aceitação do mercado por cervejas especiais, mas sobretudo à produção das grandes indústrias. Segundo ele, existe uma tendência de aceitação do público por cervejas especiais.

“Percebo um grande interesse do mercado por cervejas especiais. Há 10 anos atrás se você perguntasse para alguém o que é uma cerveja IPA muitos não saberiam responder. Bares que tradicionalmente serviam apenas as grandes marcas comerciais já estão abrindo o olho para o mercado de cervejas especiais, mesmo que sejam as produzidas por grandes companhias. E é claro que as grandes indústrias também já perceberam essa tendência e tem investido mais nestes produtos”, afirmou o especialista.

Ainda segundo Kanji, existe outro segmento de empresas que está crescendo, os chamados brew pubs, locais que produzem e vendem cervejas ali mesmo, sem revender para bares e supermercados. “São pequenas empresas que produzem suas próprias cervejas e vendem apenas ali no local mesmo, sem vender para supermercados e outros bares por exemplo. Com isso a parte fiscal fica mais simplificada”, disse.

O Anuário da Cerveja apontou que o número de municípios com pelo menos uma cervejaria também aumentou e agora um a cada oito municípios brasileiros possuem pelo menos uma cervejaria registrada. Isso quer dizer que são 722 municípios brasileiros com pelo menos uma cervejaria, o que representa um aumento da dispersão em 7,4% se comparado a 2021, quando havia ao menos uma cervejaria em 672 municípios brasileiros.

O setor cervejeiro no Brasil é historicamente relevante para economia nacional, gerando mais de 42 mil empregos diretos. A região sudeste detém 57,8% dos empregos diretos, seguida das regiões Nordeste e Sul com, respectivamente, 16,8% e 14,7%. Na sequência temos o Centro-Oeste com 7,1% e a região Norte com apenas 3,7%.