Santana Gomes diz que volta de Demóstenes Torres mexe na disputa para senador

Deputado afirma que Zé Eliton deve ser eleito governador e sugere que Marconi Perillo fique em Goiás para ajudar a base

Demóstenes Torres e Santana Gomes | Fotos: Ruber Couto

O deputado Santana Gomes diz que só tem duas certezas na vida: “José Eliton será eleito governador em 2018 e a Seleção Brasileira, se Neymar jogar, vai ser campeã no mesmo ano”. Brincadeira? “Nada disso. Quem visita o interior e percebe a movimentação nos municípios em decorrência do Goiás na Frente nem imagina que há uma crise econômica no país. No Rio Grande do Sul, estão parcelando salários dos funcionários públicos. No Rio de Janeiro, os salários estão atrasados. Em Goiás, além dos salários em dia, há obras em quase todos os municípios. O diferencial é o governador Marconi Perillo, que, com o Goiás na Frente, está expulsando a crise dos municípios. Portanto, anote, Zé Eliton vai ser o próximo governador de Goiás. Agora, é preciso evitar a arrogância do ‘já ganhei’ e tratar bem todos os aliados. Não se pode ficar no pedestal.”

Demóstenes e o Senado

Recentemente, Santana Gomes conversou com o ex-senador Demóstenes Torres, que, absolvido pela Justiça, está de volta à política. “Trata-se de um político articulado e inteligente. Ele quer disputar mandato de senador, e é um nome forte, porque tem votos, é popular. Não quer disputar mandato de deputado federal.”

Santana Gomes tem andado pelo interior, sempre dialogando com prefeitos, vereadores, líderes municipais e populares. “Sinto que há uma descrença com a política, mas as pessoas percebem que, fora da política, não há alternativa. Então, na hora agá, a maioria vai votar, sobretudo nos candidatos que apresentarem propostas equilibradas. O povo está cansado de propostas faraônicas. Estou trabalhando duro para me reeleger e conto com o apoio do governador Marconi Perillo, que sempre defendo na Assembleia Legislativa.”

Santana Gomes trabalha de maneira intensa em Goiânia, notadamente em alguns bairros. Mas tem visitado o interior com frequência. “Trabalho em vários municípios. Em Niquelândia, tenho vários apoios. Em Campinorte, estou plantando uma base de apoio. Assim como em outras cidades. Campanha para deputado estadual é uma verdadeira guerra.”

Marconi Perillo

“Marconi Perillo é uma força da natureza. Além de ser um político racional, que pesquisa quase tudo, tem um feeling privilegiado. Ele sentiu que há espaço na política nacional e está colocando seu nome. Pode ser candidato a presidente da República? Pode. Pode ser vice de Geraldo Alckmin ou de João Doria? Pode. Ele em cacife, é um player nacional. É provável que, em 2018, ele volte para Goiás no último minuto do segundo tempo. É preciso realçar que se trata do maior ‘general’ eleitoral tanto de Zé Eliton quanto de toda a base governista. Noutras palavras, precisamos dele em Goiás”, frisa Santana Gomes. “Ninguém aglutina e lidera tanto quanto Marconi.”

Em relação à disputa para o Senado, Santana Gomes sugere que o possível retorno de Demóstenes Torres mexeu no jogo. “Uma vaga, todos concordam, inclusive a oposição, está praticamente reservada para Marconi Perillo, que é hors concours. A outra vaga vai ser disputada por Demóstenes Torres, se puder ser candidato, Lúcia Vânia e Wilder Morais. Acredito que tanto Lúcia quanto Wilder serão candidatos, na ou fora da base governista. Eles comandam estruturas de poder.”

Procon

O deputado diz que a sociedade precisa ficar atenta a um fato: “A doutora Darlene Araújo faz um sério e competente no Procon e, mesmo assim, acabou acionada pelo promotor de justiça Fernando Krebs. O Sindiposto havia recorrido à Justiça contra a diretora do Procon, unicamente porque tem verificado irregularidades nos postos de combustíveis. Agora, Krebs entrou com ação cível pública alegando que o Procon não pode investigar os postos. Ora, se o Procon não pode, quem pode? O Ministério Público vai ficar o lado de quem comete irregularidades ou de quem investiga irregularidades?

Daniel Vilela

Na opinião de Santana Gomes, Daniel Vilela pode não ser candidato a governador em 2018. “Parece que aconteceu alguma coisa com o deputado. Depois que foi citado pela Lava Jato, por ter recebido dinheiro da Odebrecht, parece um tanto quanto desanimado. Parece que houve um abalo psicológico. Perdeu o pique. O senador Ronaldo Caiado começa a bater nele e é mais articulado e experiente. Não ficarei surpreso se, no final, o PMDB bancar a candidatura de Maguito Vilela a governador.”

José Pinheiro

Na semana passada, quem conversou com Santana Gomes percebeu que estava triste. “O delegado aposentado José Pinheiro, meu amigo, perdeu um filho, o Glauco, numa acidente automobilístico. A sua dor, intensa, abalou-me.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.