Quem ficar no PT, na disputa de 2018, pode encomendar o funeral político

Prisão de Lula pode provocar uma debandada nacional, inclusive em Goiás, de petistas rumo a partidos como PDT, PSB, PPS e Rede

Adriana Accorsi, Paulo Garcia e Antônio Gomide | Fotos: Jornal Opção

Há um consenso no meio político, advocatício e judicial: o ex-presidente Lula da Silva não escapa da cadeia, agora ou um pouco mais tarde. Mais: sua prisão desencadeará uma onda de delação premiada — o que, pode considerar a Procuradoria da República, não será mais necessário.

A prisão de Lula, para o PT, acarretará um problema mais grave: uma debandada geral. Em Goiás mesmo, segundo um petista conceituado, da banda limpa, diz, e não em tom jocoso: “Não ficará um, meu irmão!”.

O mais provável é um bando de radicais tome conta do PT e que os moderados buscam novas legendas, como PDT, PSB, PPS e Rede. O PDT de Goiás pode absorver políticos como Paulo Garcia, Adriana Accorsi e Antônio Gomide. Eles podem até negar, mas não estão nada confortáveis no partido. Quem ficar no PT, na disputa de 2018, pode encomendar o funeral político.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.