Municipalismo pode ser o tema dominante da campanha de 2018 em Goiás

Prefeitos dizem que os eleitores não querem saber de político falando de ética ou atacando outros políticos por causa de ética. Eles querem saber é o que os candidatos já levaram e vão levar para os municípios

O Hospital Regional de Uruaçu: eis o tipo de obra que os eleitores do interior aprovam e, por isso, valorizam o político que decidiu construí-la

O Jornal Opção conversou com oito prefeitos, de vários partidos, e perguntou a todos o que, a partir do que ouvem no interior, vai definir a eleição de 2018 para governador. O que se lerá a seguir é uma síntese do pensamento dos gestores municipais.

De maneira unânime, os prefeitos disseram que, em pesquisas, os eleitores podem até dizer que a questão ética — o armagedom da corrupção — vai prevalecer. Mas o que ouvem, no dia a dia, é outra coisa. Eles afirmam que o tema municipalismo — a história do apoio de cada político aos 246 municípios — deve sobrepor-se aos demais temas. Há, no momento, a convicção de que, se a vida começa nos municípios, é preciso valorizá-los mais. Então, o candidato a governador que falar ao coração dos moradores dos municípios, sobretudo se apresentar um cartel de serviços prestados às cidades, pode acabar ganhando a eleição.

Os prefeitos ressaltam que os eleitores dizem, de maneira peremptória, que “todos os políticos são iguais”. Por isso, como terão de escolher um para gerir o governo, tendem a optar por aqueles que já atendem e, ao mesmo tempo, que apresentem projetos, objetivos e não fantasiosos, para melhorar suas vidas nos municípios. Os eleitores não querem saber de ideias grandiosas. Querem saber de ideias que podem ser transformadas em obras funcionais.

Asfalto é uma coisa atrasada? Os prefeitos dizem que pode até ser. Mas é o tipo de obra que os eleitores recebem bem. O prefeito que conseguir asfaltar toda a sua cidade, ou ao menos a maior parte dela, terá como “cobrar” o voto dos eleitores para seu candidato a governador. Na prática, os eleitores, na visão dos prefeitos, estão dizendo que não acreditam em discurso ético nem no discurso de políticos que atacam os outros falando em ética.

Eles querem saber de resultados e, sobretudo, nos municípios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.