O cooperativismo fortalece o agro goiano

O setor agropecuário tem excelentes exemplos de como as cooperativas transformam positivamente a sociedade

Donalvam Maia é superintendente de Produção Rural Sustentável da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa)

Neste sábado, 4 de julho, celebramos o cooperativismo no mundo. Ganham todos que participam dessa rede que tem como objetivo ser mais do que um modelo de negócios. Cooperar é trabalhar pelo bem comum da rede, buscando dar oportunidades de crescimento e desenvolvimento a todos. Os maiores valores são as pessoas, algo que precisamos muito priorizar cada vez mais nesse momento no qual vivemos.

O setor agropecuário tem excelentes exemplos de como as cooperativas transformam positivamente a sociedade. Talvez, Rio Verde seja o exemplo máximo no Estado de como uma cooperativa pode transformar e desenvolver uma região. Lá, vimos florescer a Comigo, uma cooperativa que foi fundada por 50 produtores rurais da região Sudoeste do Estado, em 1975, e hoje alcança 8.300 cooperados e mais de 2.600 colaboradores, com faturamento de mais de R$ 4,5 bilhões, de acordo com o relatório da cooperativa de 2019. 

Quem visita Rio Verde vê claramente o quanto o município se desenvolveu graças ao trabalho do cooperativismo. Além de movimentar a economia do município, o que também atraiu grandes indústrias para o local, trouxe desenvolvimento, tecnologia, emprego e renda. Tanto que a cooperativa realiza a Tecnoshow Comigo, que é hoje uma das feiras mais importantes do Brasil em termos de difusão de tecnologia rural. É um orgulho para o nosso Estado e contribui para fazer da região Sudoeste uma potência nacional.

Temos, é claro, também, outras excelentes cooperativas distribuídas em nosso Estado. Ligadas ao setor agropecuário, cooperativas de agricultores familiares, de produtores de leite, de mel, de grãos, hortaliças e outras culturas. São organismos que somam forças, lutam conjuntamente e contribuem sobremaneira para o desenvolvimento das regiões na qual estão posicionadas. E elas merecem nosso reconhecimento. 

O Governo de Goiás reverencia e tem especial cuidado com esses agentes importantes de desenvolvimento social. Há cooperativas comercializando conjuntamente nas Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa), outras buscando capacitações e conhecimento com os nossos técnicos da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), que inclusive oferece assistência na criação de cooperativas no Estado. Existem linhas de financiamento do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), por exemplo, que também alcançam essas organizações. Além disso, o Estado de Goiás conseguiu aumentar o valor oferecido no financiamento do Plano Safra 2020/2021 que, com toda a certeza, aumentará a disponibilidade para entidades cooperadas, promovendo mais produção, mais geração de emprego, aumento da renda e desenvolvimento. 

Precisamos, cada vez mais, incentivar iniciativas como essas. Buscar aumentar esse espírito cooperativista, sobretudo em ações que demonstrem o comprometimento com o futuro de todos. Afinal, cooperar é se importar, é cuidar. E isso as cooperativas fazem tão bem e nos ensinam todos os dias a pensar no coletivo e a se preocupar com o outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.