A Polícia Nacional da Espanha divulgou imagens de quatro indivíduos detidos, suspeitos de pendurar um boneco representando o jogador brasileiro Vinicius Júnior (Vini Jr) em uma ponte, simulando um enforcamento. O atacante do Real Madrid tem sido alvo frequente de ataques racistas em território espanhol.

“Os suspeitos têm idades entre 19, 21, 23 e 24 anos. Vários deles foram identificados durante jogos de alto risco, por meio dos dispositivos de prevenção à violência esportiva da Polícia”, publicou o órgão em uma rede social. Um dos detidos, inclusive, possui antecedentes por lesão corporal, de acordo com as informações fornecidas pela polícia.

Clique aqui para ver o vídeo da prisão dos suspeitos.

Torcedores do Atlético de Madrid penduraram pelo pescoço um boneco com a camisa do atacante do Real. O caso ocorreu em janeiro deste ano, na véspera do confronto entre Atlético e Real pela Copa do Rei.

O boneco foi pendurado em uma ponte próxima ao centro de treinamentos do Real Madrid. Havia ainda uma faixa com a frase “Madrid odia al Real” (Madri odeia o Real, como se a cidade odiasse o time de Vini).

Mais um caso

No último domingo, 21, mais um caso de racismo contra Vinicius Júnior aconteceu no estádio Mestala, no jogo contra o Valencia. A partida chegou a ser paralisada por cerca de oito minutos no 2º tempo por causa de gritos de “macaco” em direção ao brasileiro. Ele escreveu nas redes sociais a denúncia da perseguição, sem que a Liga Espanhol de Futebol (La Liga) fizesse algo para impedir isso.

Apesar de ao menos 10 denúncias de racismo contra o atleta já terem sido formalizadas nesta temporada, o episódio desse fim de semana causou grande repercussão no governo brasileiro, a ponto de o Ministério Público da Espanha ser acionado.

O próprio Real Madrid se pronunciou oficialmente depois que o atacante Vinícius Júnior sofreu mais um episódio de racismo na Espanha. Na segunda-feira, 22, o Real, por meio de uma nota oficial, formalizou denúncia por crime de ódio à Procuradoria-Geral do Estado.