Viraliza nas redes desabafo de pai que teve filho “extraviado” por companhia aérea

Garoto de seis anos saiu do Rio de Janeiro com destino a Vitória, mas foi enviado para Curitiba. Empresa aérea pediu desculpas pelo erro

Wanderson Romão, 33 anos, resolveu levar para as redes sociais sua indignação com a GOL Linhas Aéreas, depois que, por erro da companhia, seu filho de seis anos foi enviado para a cidade errada.

A criança, que viajava desacompanhada pela primeira vez, deveria ir do Rio de Janeiro, onde mora com a mãe, para Vitória, onde reside o pai, mas em vez disso foi parar em Curitiba, para onde sequer tinha permissão para viajar. A companhia aérea se manifestou por meio de nota pedindo desculpas pelo ocorrido.

Segundo relato publicado por Romão no última sábado (3/12), ele comprou a passagem para passar o aniversário com o filho. Além do preço da passagem, pagou uma taxa extra no valor de R$ 100 para criança desacompanhada. A mãe deixou o garoto aos cuidados dos funcionários da GOL no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, mas o garoto não estava no voo que chegou a Vitória.

“Quem fez a descoberta desse absurdo, fui eu, o pai da criança, que ao notar o desembarque do voo que chegava em Vitória as 18:20 h, percebi que meu filho não havia saído do avião e não estava presente no voo 2160. Foi as piores horas da minha vida, pois percebi que meu filho havia desaparecido”, escreveu.

Em menos de 24 horas, o relato teve mais de 90 mil compartilhamentos no Facebook. O pai afirma que o filho ficou muito assustado quando percebeu que tinha sido enviado para o lugar errado e relatou que ele ficou sozinho durante o voo. A companhia aérea nega esta informação.

“Depois de uma hora, tive a informação de que meu filho havia chegado, mas em Curitiba, capital do Paraná !! Ele fez o voo sem nenhuma pessoa ao lado da cadeira. Não havia autorização judicial para ele ir ao Paraná, apenas RJ, ES e SP. O que era para ser um vôo de 45 min se transformou em um vôo de 1 h e meia e em um filme de terror ! A criança estava com medo, havia chorado durante o voo de ida.” Confira o relato:

No mesmo dia, a GOL se ofereceu para enviar o garoto a Vitória em um voo com escala no Rio de Janeiro, mas o pai preferiu que ele ficasse na capital fluminense com a mãe.  “Se em um voo direto haviam perdido ele, imagina em uma conexão. Ele deveria estar com medo, assustado. As 21 h ele chegou ao RJ. Totalizando 4 horas de viagem”, relatou Romão.

Ainda no sábado (3), a GOL publicou nota pedindo desculpas aos familiares. Segundo a companhia, houve uma falha no procedimento de embarque, o que ocasionou na troca do voo. Segundo nota, “a todo momento o menor esteve assistido por um colaborador da GOL e que imediatamente manteve contato com a família para prestar a assistência necessária”. A empresa afirma que adotará medidas para evitar que situações como esta voltem a acontecer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.