Vila Cultural Cora Coralina sedia grande festival de fotografia

“Goyazes – Festival de Fotografia” tem início nesta sexta-feira (1º/9) com extensa programação

Foto: reprodução/ Facebook

A partir desta sexta-feira (1º/9), a Vila Cultural Cora Coralina recebe “Goyazes – Festival de Fotografia”: um circuito com dez dias de atividades, que conta com exposições, palestras, leituras de portfólio, workshops e rodas de conversa.

Com curadoria de Diógenes Moura, ex-curador da Pinacoteca de São Paulo, o festival terá a participação de alguns dos nomes mais destacados da fotografia brasileira, como Luiz Braga, Márcio Vasconcelos, Gilvan Barreto, Adenor Gondim, Ana Carolina Fernandes, Guy Veloso, Milton Guran, Ronaldo Entler e Mônica Zarattini.

A entrada é gratuita e o festival será realizado até o dia 10 de setembro, mas as exposições abertas durante o circuito ainda ficarão em cartaz até meados de outubro.

Haverá também uma exposição paralela reunindo ensaios inéditos de oito fotógrafos escolhidos por meio de convocatórias destinadas a inscrições nacionais e estaduais e selecionados a partir de um júri criado especialmente para o festival. Durante os meses de maio e junho deste ano, o festival recebeu 509 inscrições: 461 provenientes de 16 Estados brasileiros e do Distrito Federal, e outras 48 de Goiás.

A iniciativa é da WA Imagem, com patrocínio do Fundo de Arte e Cultura, da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), e incentivo cultural de outros parceiros.

O festival

A exposição com as séries dos oito fotógrafos selecionados pelas convocatórias nacional e estadual é apenas uma dentre as atividades propostas pelo “Goyazes – Festival de Fotografia”. A programação ainda prevê 12 workshops, cinco palestras, 14 exposições, seis rodas de conversa, três projeções e seis leituras de portfólio, um verdadeiro circuito com a proposta de ampliar o espaço dado à cultura da fotografia no Centro-Oeste.

Fotógrafos

Exposições de artistas renomados também fazem parte da programação do festival. Uma delas será “Retumbante Natureza Humanizada”, um profundo trabalho de pesquisa sobre a obra do paraense Luiz Braga a partir de um recorte iniciado pelo curador desta exposição, Diógenes Moura, em 2009. O conjunto de 100 fotografias privilegia grande parte da produção do artista em preto e branco.

A mostra reunirá imagens realizadas, sobretudo, em Belém e na Ilha de Marajó, territórios onde o fotógrafo vem trabalhando mais constantemente, um pouco afastado de sua cidade natal. Luiz Braga foi o representante brasileiro da Bienal de Veneza em 2009 e ganhou o prêmio de melhor exposição fotográfica de 2014 pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). No Goyazes, sua exposição será encerrada com o filme “O sem nome e o nada” (2014, 30′), idealizado pelo curador e realizado pelo coletivo paraense Cêsbixo.

Outro profissional que virá expor seu trabalho em Goiânia, dentro do festival Goyazes, é Márcio Vasconcelos, com o ensaio “Visões de um Poema Sujo”. A série faz uma incursão naquela considerada a obra-prima do poeta Ferreira Gullar: Poema Sujo, escrito na ocasião de seu exílio político, em Buenos Aires, em 1975. Aqui, o fotógrafo percorre a cidade, lambe o suor nas paredes de uma São Luís que agoniza como agoniza a maioria das cidades brasileiras, entre memória e abandono, entre violência e paixão.

A última exposição fica por conta do Coletivo Olhares do Cerrado, que envereda pelo universo simbólico das tradições religiosas tradicionais de Goiás na mostra “Devotos e Bandeiras”, fruto de um trabalho que vem sendo realizado desde 2012. Aqui, o jogo proposto é o de experienciar a fragilidade e as dores humanas, a perseverança e a fé nos milagres, contrastar o sagrado e o profano. Nas imagens, ritos e rituais tradicionais que carregam a identidade e a memória de um povo.

Serviço

Goyazes– Festival de Fotografia

Data: de 1º a 10 de setembro
Local: Vila Cultural Cora Coralina
Endereço: Rua 3, s/n, Centro
Programação completa no site
Entrada gratuita

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.