Vereadores visitam escola denunciada por tocar músicas eróticas em festa com crianças

Denúncia foi levantada na sessão da Câmara Municipal, nesta quinta-feira, 21, por Ronilson Reis. Instituição alegou se tratar de caso isolado e afastou professora responsável

Gabriela Macêdo e Aline Carlêto

Vereadores da Comissão da Criança e do Adolescente da Câmara de Goiânia realizaram, nesta quinta-feira (21), uma visita técnica à escola Cantinho das Letras, no Conjunto Vera Cruz, após denúncias de violação ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). O parlamentar Ronilson Reis (Pode) recebeu a denúncia de pais e convocou os colegas para averiguar.

Os vereadores Leandro Sena (PHS), Ronilson Reis (Pode), Pastor Wilson (PMB), Thialu Guiotti (Avante), Anderson Bokao (DEM) e Edgar Duarte (PMB) participaram da visita. A instituição foi denunciada ao Conselho Tutelar por realização de audição ou recitação de caráter obsceno em lugar público, ou acessível ao público, ou pelo rádio. A denúncia veio após a escola promover uma festa do pijama em comemoração ao Dia das Crianças. Os estudantes dançaram músicas com letras de teor erótico e pejorativo.

O caso foi exposto na Câmara pelo vereador Ronilson Reis durante o pequeno expediente da manhã desta quinta-feira (21). “A denúncia já foi formalizada via Conselho Tutelar. Vamos representar criminalmente na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente para que sejam tomadas as providências cabíveis. É inadmissível que uma escola, que deveria promover eventos educativos, promova festas eróticas às crianças”, afirmou o parlamentar.

Depois de o caso ser levantado na sessão, os vereadores resolveram fazer a visita. A sugestão veio do vereador Anselmo Pereira (MDB). “Como colocam uma música dessas? Vossa excelência tem de peticionar e fazer com que a Comissão da Criança e do Adolescente visite a escola, exigir que sejam punidos os professores que buscaram essa letra e fomentaram e instigaram fatos como esses”, sugeriu o vereador, que foi atendido.

Os professores usaram funks como Loucura Que Ela Fez Comigo (Funk Explode) e Menina Se Prepara (MC Pepeu, DJ Swat). O vereador Leandro Sena caracterizou o caso como desastre. “Existe a Lei 8.069 (ECA). Queria colocar na cadeia esses criminosos. As denúncias das mães são testemunhas do fato criminoso”, desabafou o membro do legislativo.

A coordenadora pedagógica, que não quis se identificar, afirmou que a professora que colocou a música pra as crianças dançarem foi afastada e está em processo de demissão. Eles admitiram o erro e pediram desculpas. Na festa do pijama, havia 23 funcionários da escola e cerca de 70 crianças.

A visita:

Na escola, o clima da conversa entre os funcionários, advogados e vereadores foi de conciliação. A coordenadora se emocionou. A instituição afirmou que este foi um fato isolado e foi a primeira vez em que teve festa do pijama. Além disso, acrescentou que nunca colocaram música deste tipo.

Segundo a escola, se tivesse percebido, teria tirado. No entanto, como estava muito corrido com o trabalho, e eles não reconheceram a letra. Apenas uma mãe, que retirou sua criança da instituição, teria reclamado na escola.

Os vereadores frisaram que a ida à escola foi para entender o fato, e não para condenar a escola por um fato isolado. Por outro lado, reafirmaram que os procedimentos serão seguidos.

5 respostas para “Vereadores visitam escola denunciada por tocar músicas eróticas em festa com crianças”

  1. Avatar Ana disse:

    Vereadores homens que não querem perder a chance de disputar a atenção de seus eleitores conservadores ao custo da humilhação das professoras. Violenta, espetaculosa e desproporcional a ação contra a escola.

  2. Avatar Jésus disse:

    Existem vereadores, havia me esquecido já que os mesmos somem depois que são eleitos.

  3. Avatar Flávia disse:

    Mas as crianças estavam cantando junto no vídeo que circulou. Os pais não perceberam antes que elas já conheciam as músicas?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.