Ministério Público recomendou suspensão das atividades por 15 dias, devido à pandemia

Esperado há anos, processo do Plano Diretor tem novo obstáculo / Foto: Câmara Municipal

A Câmara Municipal de Goiânia deve pedir reconsideração sobre suspensão das audiências públicas para o Ministério Público. O argumento dos vereadores é que a casa funciona normalmente, e que não há impedimento para a realização das audiências. No entanto, a resposta ainda deve ser formalizada e enviada, segundo informou a assessoria da Câmara.

A princípio, a casa legislativa goianiense vêm acatando todos os pedidos oriundos do Ministério Público e área jurídica sugeriu a suspensão. Mais cedo, a assessoria da Câmara informou ao Jornal Opção que a recomendação seria acatada. No entanto, diante do pedido do órgão de suspensão por 15 dias das audiências, os vereadores “se rebelaram”. Eles querem que as discussões sobre a revisão do Plano Diretor caminhem.

Vereadores teriam manifestado pela urgência na aprovação do Plano Diretor, sobretudo diante da aproximação das eleições municipais. No entanto, tanto o Ministério Público quanto entidades ligadas a moradores de alguns bairros vêem pressa e certo atropelo das discussões em período de pandemia.

O Ministério Público pede a suspensão das audiências por três semanas ou enquanto durar a curva ascendente da pandemia de Covid-19 em Goiânia. O órgão observa que a média de óbitos na capital também cresceu chegando a 12 mortes por dia pela doença.