Vereadores de Aparecida criticam fechamento da Maternidade Marlene Teixeira

Secretaria Municipal de Saúde planeja, ao longo de 2022, transformar a unidade hospitalar em um Centro de Atendimento Especializado à Mulher

Vereadores de Aparecida de Goiânia criticaram o fechamento da Maternidade Marlene Teixeira (MMT), na Vila Brasília, durante sessão realizada na manhã desta terça-feira, 10, na Câmara Municipal. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a unidade hospitalar será desativada e transformada em um Centro de Atendimento Especializado à Mulher, com atendimentos ambulatoriais.

O vereador William Panda (PSB) falou sobre os sérios problemas que a maternidade sempre enfrentou, mas questionou se transferir totalmente a maternidade para o Hospital Garavelo seria o mais correto. Ele apontou que fechar totalmente uma unidade de saúde sem maiores debates com a sociedade é muito complexo.

O vereador ainda alertou sobre o problema de colocá-la em um hospital que só pensa no lucro e lamentou o assunto não ter sido debatido mais profundamente em audiências públicas. “Me preocupa muito não ter uma maternidade municipal pública”, advertiu Panda. Apesar da iminência da mudança, Willian Panda garantiu que ainda tentará organizar uma audiência para debater o tema.

Os vereadores Fábio Ideal (PP) e Gleison Flávio (MDB), que são da região do Garavelo, garantiram que o atendimento do hospital do bairro melhorou bastante. Eles convidaram os demais vereadores a visitarem a unidade para acompanhar as melhorias.

Em sua fala, o vereador Gilsão Meu Povo (MDB) reclamou da falta de esclarecimentos sobre a mudança, o que foi acompanhado pelo presidente da Casa, vereador André Fortaleza (MDB), que também afirmou não ter recebido nenhuma informação sobre o assunto. “É um absurdo. Tínhamos que ser ao menos comunicados”, reclamou o presidente. André Fortaleza classificou como um erro a decisão ter sido tomada sem incluir ao menos a Comissão de Saúde da Câmara nas discussões.

Pegando gancho na fala de Fortaleza, o presidente da Comissão de Saúde, vereador Marcelo da Saúde (PSC), disse que buscará uma agenda com o Secretário Municipal de Saúde, Alessandro Magalhães, com intuito de organizar audiência pública para tratar sobre as questões discutidas na sessão.

Já o vereador Isaac Martins (PL) propôs aos demais pares que aproveitem as eleições deste ano para cobrarem de seus candidatos emendas parlamentares que sejam especificamente direcionadas a construção de uma maternidade municipal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.