Vereador apresenta projeto que busca implantar Passaporte de Vacinação Municipal em Goiânia

Segundo a proposta, o documento poderá ser exigido para entrada em locais públicos, privados, eventos culturais, esportivos ou em ambientes que necessite de controle epidemiológico

Câmara Municipal de Goiânia

Gabriela Macedo

Isabel Oliveira

Foi apresentado na Câmara de Goiânia, na sessão desta terça-feira, 31, o projeto que busca implantar o Passaporte de Vacinação Municipal (PVM). Segundo a proposta, o documento poderá ser exigido para entrada em locais públicos, privados, eventos culturais, esportivos ou em qualquer local em que possa haver aglomeração de pessoas em que o controle epidemiológico seja necessário.

Na avaliação do autor do projeto, o vereador Marlon Teixeira (Cidadania), o passaporte vem em um momento importante para que se evite um novo Lockdown. “Além de fomentar a economia, o setor produtivo e valorizar os comerciantes. Temos que incentivar a vacinação e é muito importante que esse passaporte seja aprovado para criar ambientes seguros e principalmente garantir o combate a Covid-19”, disse.

O passaporte da vacina já vem sendo adotado por diferentes estados e municípios brasileiros, com regras que variam de um local para outro. A medida, por exemplo, passa a valer a partir do dia 1º de setembro, em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Outros estados como Espírito Santo, Amazonas e Ceará já adotaram regras semelhantes. Em Goiás, algumas cidades estão analisando a possibilidade.

Manifestações em plenário

Durante a apresentação no Plenário da Casa, houve manifestações contra o projeto. O autor do proposta comentou a atitude de alguns presentes que durante sua apresentação o chamaram de fascista. “Respeito. Mas, pode observar que todas as pessoas que foram contra, nenhuma estava usando máscara. Estamos vivendo uma pandemia que é uma questão de saúde pública e o interesse da coletividade está acima do direito individual nesse caso”, afirmou Marlon.

Em contrapartida, alguns vereadores utilizaram momento de fala na tribuna, para apoiar a proposta de Marlon. Foi o caso dos colegas de casa de Santana Gomes (PRTB) e Aava Santiago (PSDB). “É muito importante para conseguir garantir economia e saúde pública, não tem outro caminho”, destacou a vereadora em apoio a proposta.

Segundo Marlon Teixeira, foi marcada uma audiência pública para o dia 17 de setembro  em que a Prefeitura de Goiânia deve estar participando para debater o projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.