Traficante “BH” nega ser faccionado e que tenha pagado por fuga

Apontado como líder do Comando Vermelho em Goiás, preso fugiu do semiaberto no final do ano passado e foi recapturado no RJ

“BH” chega a Goiânia após ser recapturado | Foto: divulgação/ PC

O preso Sthephan de Souza Vieira, conhecido como “BH”, foi interrogado formalmente pela Polícia Civil nesta terça-feira (9/1) pela delegada Myrian Vidal, titular Delegacia Estadual de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco).

Durante a oitiva, o preso negou ser faccionado a qualquer organização criminosa e disse que não tem responsabilidade pelas rebeliões ocorridas em unidades prisionais de Goiás no começo deste ano.

Embora as investigações apontem que houve pagamento de R$ 100 mil pela fuga, BH também negou reiteradamente que tenha pagado qualquer valor para que sua fuga fosse facilitada ou efetivada.

Apontado como líder do Comando Vermelho em Goiás, ele escapou da Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, no dia 6 de novembro do ano passado e foi recapturado no último domingo (7), em Cabo Frio (RJ).

De acordo com a delegada, durante o interrogatório, BH afirmou que, ao ser transferido para o regime semiaberto, recebeu uma “camisa de amarelinho”, para poder realizar trabalho interno na unidade. “Ele conta que percebeu que dava para ir embora e fugiu sozinho, negando que tenha sido ajustado qualquer valor para a fuga”, destacou.

Ele responde por homicídio, roubo, porte ilegal de arma e munição de uso restrito, associação criminosa, tráfico de drogas e associação criminosa. (As informações são da Assessoria da Polícia Civil)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.