Terceiro dia de protestos no Irã desafia o regime dos aiatolás

Vídeos registram policiais reprimindo as manifestações que tomam conta de diversas cidade do país persa

Manifestantes tomam as ruas do Irã (Foto: Reprodução)

Após o governo do Irã ter admitido que foi responsável pela queda do Boeing 737 com 176 pessoas a bordo, o país passa pelo terceiro dia consecutivo de protestos. Os manifestantes pedem morte aos mulás e aiatolás. A polícia reprime com munição real e bombas de gás.

Vídeos registraram os manifestantes fugindo de bombas de gás no domingo, 12. Uma mulher aparece com a perna sangrando, que teria sido provocado por uma munição atirada por um policial.

“Esse é o sangue do nosso povo?”, questionou um manifestante, enquanto filmava uma poça de sangue. Em outros registros publicados nas redes sociais, dá para ouvir sons de disparos p em protestos na praça Azadi, em Teerã, e na cidade de Shiraz.

Em um comunicado oficial, o chefe da polícia do Teerã Hossein Rahimi negou que oficiais tenham feito disparos contra manifestantes. Ele disse ainda que estão sob a ordem de agirem com moderação.

Moradores têm reportado presença de agentes de segurança no centro do Teerã, durante a manhã desta segunda, 13. Outro vídeos mostra policiais de choque aglomerados próximo à praça Vali-e Asr.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.