Temendo fuga de suspeitos, Teori Zavascki decide manter presos investigados da Operação Lava-Jato

Com a decisão, permanece em liberdade apenas o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que deixou a prisão nesta segunda-feira

teori ab

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki decidiu nesta terça-feira (20/5) manter presos onze pessoas investigadas na Operação Lava-Jato, deflagrada pela Polícia Federal. Zavascki havia concedido liminar nesta segunda-feira (19) paralisando os inquéritos da operação e autorizando a libertação dos suspeitos.

Zavascki levou em conta, ao reconsiderar sua decisão, os argumentos do juiz Sergio Moro, responsável pelo caso no Paraná, que disse haver risco de fuga dos investigados. Ele apontou também que a libertação dos presos beneficiaria René Luiz Pereira, que também é acusado de tráfico internacional de drogas.  Ele teve prisão decretada na Operação Monte Pollino, deflagrada depois dele ter sido preso durante a Lava-Jato.

Com a decisão, permanece em liberdade apenas o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que deixou a prisão nesta segunda-feira. Continuam presos Alberto Youssef, Raul Henrique Srour, Carlos Alexandre de Souza Rocha, André Catão de Miranda, Carlos Alberto Pereira da Costa, Nelma Kodama, André Luís Paula dos Santos, Carlos Habib Chater, Ediel Viana da Silva, Maria de Fátima Stocker e René Luiz Pereira.

Sleiman Nasin el Kobrossy está sendo procurado pela Justiça.

Uma resposta para “Temendo fuga de suspeitos, Teori Zavascki decide manter presos investigados da Operação Lava-Jato”

  1. Avatar Luís Fernando Prado disse:

    Coitados dos aposentados do INSS depois que o Ministro Zavascki assumiu o STJ e depois do STF (vide RE 626.489)!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.