TCU determina o bloqueio de bens da ex-presidente Dilma Rousseff

Ex-presidente e outros membros do Conselho de Administração da Petrobras foram condenados por prejuízos à estatal na compra de refinaria em Pasadena

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou, nesta quarta-feira (11/10), o bloqueio de bens da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) por prejuízos à Petrobras na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

Além dos bens de Dilma, o TCU também implicou na ação o ex-ministro Antônio Palocci; os ex-membros do Conselho de Administração da Petrobras Claudio Luis da Silva Haddar, Fábio Colletti Barbosa, Gleuber Vieira; e o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli.

Eles ainda podem recorrer da decisão no TCU e na Justiça. O dano total seria de US$ 580 milhões e o bloqueio é solidário, ou seja, os bens ficarão indisponíveis até que essa quantia seja atingida. A medida valerá até que o julgamento do mérito da questão.

Na época da compra da refinaria, em 2006, Dilma ainda era ministra da Casa Civil e presidia o Conselho da empresa. O caso causou polêmica porque 50% da refinaria custou aos cofres brasileiros R$ 360 milhões e, um ano antes, a Astra Oil havia pago R$ 42,5 milhões por 100% dela.

Anteriormente, o plenário do TCU já havia condenado Gabrielli e o ex-diretor da área internacional da estatal, Nestor Cerveró, por envolvimento do caso. Eles foram condenados a ressarcir em US$ 79,9 milhões a Petrobras, além de pagar R$ 10 milhões em multa e ficarem oito anos inelegíveis.

Deixe um comentário

wpDiscuz