Segundo deputado estadual, para pegar empréstimo do fundo é preciso uma modificação no Congresso

[relacionadas artigos=”185133, 185056″]

Talles Barreto (PSDB) afirma que, se governo levar adiante ideia de pegar empréstimos de 30% do Funco de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), entrará na Justiça com Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN). Segundo ele, para mexer nesse fundo, só com modificação no Congresso.

Vale lembrar que o governador Ronaldo Caiado, a fim de socorrer o Estado, pensa nessa alternativa. Uma vez que Plano Mansueto, prometido como ajuda aos entes federativos, não foi enviado à Câmara Federal, o gestor goiano sugeriu a edição de uma Medida Provisória pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), por meio do ministro da Economia, Paulo Guedes, que permita a utilização do FCO para recuperar Estados.

Este fundo, atualmente, é destinado apenas para o setor empresarial. Segundo Talles, trata-se de uma grande iniciativa de fomento a iniciativa privada. “É uma forma do pequeno e médio comerciante, do agricultor, financiar seu negócio”.

Prejudicial

Ainda conforme o deputado estadual, esta medida de empréstimo pode prejudicar Goiás. “Esse recurso, com taxas e juros baixos, é muito importante para a movimentação da economia do Estado. Retirar isso para pagar conta do Estado é mais uma incompetência”.