Sistema S cria ação conjunta para recuperar economia de Abadiânia

Após prisão do médium João de Deus, movimento no município caiu drasticamente, prejudicando os comerciantes locais

Foto: Reprodução

Uma parceria entre diversas entidades do Sistema S está realizando um trabalho no sentido de promover a recuperação da economia de Abadiânia, após o impacto negativo da prisão e das denúncias contra o médium João Teixeira de Faria, o João de Deus. O líder da Casa de Dom Inácio de Loyola era uma importante referência do turismo religioso que movimentava a cidade.

O sistema S engloba um conjunto de organizações das entidades corporativas voltadas para o treinamento profissional, assistência social, consultoria, pesquisa e assistência técnica. A equipe será formada por representantes do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac, Senai, Sesi, Sebrae e Senar, além da Universidade Salgado de Oliveira (Universo) e Prefeitura de Abadiânia.

Alunos voluntários da Faculdade Senac e da Universo iniciaram, na última segunda-feira, 8, a aplicação de um diagnóstico empresarial, o qual será obtido por uma pesquisa junto a empresários de Abadiânia. O estudo irá mapear o perfil do empresário da região e outras potencialidades da cidade. A partir desse diagnóstico, as próximas ações no processo de reestruturação serão definidas.

“O objetivo desta ação é apoiar os empresários daquele município para que possam enfrentar este momento de mudança de foco. Deixou-se de ter um turismo religioso muito forte, e eles terão que buscar novos caminhos, para manter seus negócios funcionando”, explicou o presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-GO, Marcelo Baiocchi.

Já o Diretor Regional do Sesc e do Senac em Goiás, Leopoldo Veiga Jardim, afirmou que as entidades ficaram sensibilizadas pelo esvaziamento da cidade após o escândalo envolvendo João de Deus. “O Sistema S assumiu esta responsabilidade, essa contribuição”, disse. 

O Diretor Superintendente do Sebrae Goiás, Leonardo Guerra de Rezende Guedes, explica que a parceria visa compreender a profundidade dos impactos que os empresários de Abadiânia estão passando e assim “traçar estratégias de atuação conjunta para reerguer a economia daquele município”.

Relembre o caso

Abadiânia detinha a quarta maior arrecadação turística de Goiás, sendo a principal atração do local a Casa Dom Inácio de Loyola, criada pelo médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, em 1976. Lá eram realizados trabalhos de passe, limpeza espiritual e consultas, o que movimentava cerca de 5 mil pessoas semanalmente pelas ruas da cidade.

Após a prisão de João de Deus, o movimento no município caiu drasticamente. Comerciantes afirmaram que as vendas caíram em até 90%, pousadas e restaurantes foram fechados, e muita gente ficou desempregada.

À época da prisão do médium, os comerciantes locais já lamentavam a falta de oportunidades na cidade. De fato, quase a totalidade do faturamento girava em torno do nome de João de Deus.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.