Sindicato volta a cobrar direitos trabalhistas dos servidores do Tocantins

“Infelizmente, se a negociação não avançar, teremos que partir para medidas mais duras”, argumentou o presidente do SISEPE-TO

Na segunda-feira, 31, o Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (SISEPE-TO) encaminhou ao governador em exercício, Wanderlei Barbosa e ao secretário da Administração, Bruno Barreto, uma lista com 26 questões reivindicando direitos trabalhistas dos servidores.

Dentre os assuntos discutidos no documento, o mais cobrado foi o pagamento das datas-bases e progressões atrasadas dos servidores. Outras exigências são a implantação de auxílio-alimentação para todos os servidores do Executivo, assim como já é pago a Polícia Militar, Bombeiro Militar e demais Poderes; a instituição de forma definitiva e através de lei, da jornada de trabalho de 6 horas diárias.

“Estamos certos de que o Governo tem todas as condições legais e financeiras para pagar a dívida com os servidores efetivos e acabar de vez com a insatisfação geral da categoria que não aguenta mais um salário tão defasado há tantos anos seguidos. Infelizmente, se a negociação não avançar, teremos que partir para medidas mais duras”, argumentou o presidente do SISEPE-TO, Cleiton Pinheiro.

O Sindicato também entende que a Medida Provisória nº 27, de 22 de dezembro de 2021, não atende plenamente os anseios da categoria e não corrige os prejuízos causados aos servidores públicos ao longo dos anos, em razão da não implementação dos direitos na data que seria a correta para o pagamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.