Sindicato diz que greve de médicos é por más condições; Prefeitura de Anápolis responde

Entidade fala que diálogo com o poder público não evoluiu; Prefeitura ressalta investimento bem superior ao obrigatório para saúde

Hospital Municipal de Anápolis sofre até com falta de curativos, diz sindicato | Foto: Reprodução

A greve deflagrada a partir de hoje pelos profissionais de medicina de Anápolis visa melhores condições de trabalho e de atendimento à população. É o que diz o Sindicato dos Médicos do município, em uma carta que circula nas redes sociais e aplicativos de conversação.

No documento, a entidade comunicou à população o início da greve a partir desta quinta-feira, 15, com várias motivações no texto: não fornecimento desde 2020, pela Prefeitura, de grande parte dos medicamentos psiquiátricos de uso contínuo; redução da quantidade de médicos nos plantões e aumentou o número de pacientes, por causa do fechamento de unidades de saúde; plantão da UPA com atendimento de apenas dois médicos; falta de exames de imagem e de laboratório; falta até de curativos adequados no Hospital Municipal, entre outras.

“Você sabia que uma paciente que acabou de colocar um DIU não tem sequer um banheiro para se higienizar antes de se vestir?”, diz a carta, que segue fazendo relato de condições precárias para o atendimento, como paredes mofadas e falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), e também do esforço dos médicos no período mais crítico da pandemia.

“Preocupado com as consequências negativas que isso traz à sociedade Anapolina”, o Sindicato dos Médicos elaborou um documento com 24 reivindicações mais urgentes, que foi entregue ao prefeito Roberto Naves (PP) e ao secretário de Saúde, Júlio Spindola, ainda em setembro. Segundo o sindicato, não houve resposta.

Prefeitura

Ao Jornal Opção, depois de coletiva no Palácio das Esmeraldas, o prefeito Roberto Naves disse que recebeu representantes do sindicato em audiência na quarta-feira, 13, para tentar um acordo que evitasse a paralisação. Por isso, se sentiu surpreso com o início do movimento.

Segundo o prefeito, não falta atenção à saúde do município. “Desde que assumimos a Prefeitura, temos feito investimentos maciços na área da saúde. O município tem obrigação de investir 15% na saúde e estamos investindo mais de 35%. Sobre as questões de material e atendimento colocadas pelo sindicato, o prefeito disse que está trabalhado para “melhorar a questão da infraestrutura, dos medicamentos e principalmente o atendimento, que diz respeito à saude do cidadão anapolino”.

Roberto Naves ressaltou também as obras de sua gestão: “Inauguramos várias unidades básicas novas, inauguramos a única UPA pediátrica do Centro-Oeste. Reformamos outras e vamos inaugurar um hospital.”

Uma resposta para “Sindicato diz que greve de médicos é por más condições; Prefeitura de Anápolis responde”

  1. Avatar Ricardo disse:

    Quais são as 24 reivindicações dos médicos?
    Não ficou claro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.