Sem negociação, professores municipais ampliam mobilização e mantêm greve

Cerca de mil servidores interditaram o cruzamento entre as avenidas Goiás e Anhanguera, no centro da capital, em protesto nesta quinta-feira

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Em greve há mais de um mês, os professores da rede municipal de ensino se reuniram, na manhã desta quinta-feira (14), em uma manifestação no centro da capital. De acordo com o Sindicato dos Servidores Municipais de Educação (Simsed), cerca de mil pessoas participaram do ato.

Os manifestantes chegaram a interditar por cerca de 20 minutos o cruzamento entre as avenidas Goiás e Anhanguera. O trânsito foi monitorado por duas equipes da Secretaria Municipal de Trânsito (SMT) e foi logo normalizado.

Segundo o Simsed, a categoria pretende, agora, mobilizar o comando de greve com ações voltadas para a comunidade, com visitas a bairros da capital.

Em assembleia, também nesta quinta-feira, a categoria definiu por unanimidade pela continuação da greve, ao menos até a próxima quinta-feira (21), quando será realizada nova assembleia.

Entre as reivindicações da categoria, os professores pedem o pagamento do retroativo da data-base de 2014 aos servidores administrativos e do piso dos professores, o pagamento da gratificação de 30% para auxiliares, além de melhorias nas estruturas físicas e de segurança das unidades de ensino.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.