Secretário diz que Dona Iris é “perseguida” só porque aparece em fotos da prefeitura

Luiz Felipe Gabriel (Comunicação) acusou vereadores e negou que primeira-dama esteja usando Paço para autopromoção 

Secretário Luiz Felipe Gabriel | Foto: Larissa Quixabeira

O secretário de Comunicação de Goiânia, Luiz Felipe Gabriel, causou mal-estar na Câmara Municipal, na manhã desta quinta-feira (5/10), ao dizer que os vereadores estão “perseguindo” a primeira-dama Dona Iris (PMDB).

Isso porque, para ele, a divulgação de fotos e vídeos exaltando o trabalho da esposa do prefeito Iris Rezende (PMDB) não é autopromoção.

Na verdade, após ser questionado pela vereadora Priscilla Tejota (PSD) sobre as constantes publicações nas redes sociais oficiais da Prefeitura de Goiânia, Luiz Felipe Gabriel chegou a dizer que “desconhecia” tal fato.

“Não temos conhecimento, realmente de propaganda que mostra a primeira-dama, isso não ocorre. Não corresponde aos fatos. Se tiver é só me mostrar”, respondeu.

A parlamentar rebateu mostrando uma publicação de dois dias atrás, no Instagram oficial da Prefeitura de Goiânia, em que Dona Iris aparece ao centro durante uma comemoração do Dia Internacional do Idoso (abaixo).

Foto: reprodução/Instagram

Após ver algumas das publicações, o secretário minimizou a questão e ainda acusou os parlamentares de misoginia contra Dona Iris — que deve tentar voltar para a Câmara Federal no ano que vem, após ser derrotada em 2014.

“São fotos de multidões no mutirão e por acaso tem lá a figura da Dona Iris, acho estranho esse tipo de perseguição em torno da mulher, a mulher que está em desvantagem, que há a preocupação atual da sociedade. É muito mais uma perseguição gratuita”, ironizou.

A fala revoltou também o vereador Jorge Kajuru (PRP), que lembrou inclusive de uma decisão judicial que impede a divulgação da primeira-dama nas redes sociais oficiais da Prefeitura de Goiânia. “Vereadora Priscilla [Tejota] não está enganada, o senhor está esquecido, a justiça proibiu a divulgação dela”, rebateu.

Dra. Cristina Lopes (PSDB) engrossou o coro contra as acusações do secretário. “Não é fato de ser mulher, nem primeira-dama, o que nos diz respeito é o uso da máquina pública para campanha que já está declarada e antecipada. Digo repetidamente, casal opera no sistema analógico”, lamentou.

Por fim, Priscilla Tejota pediu mais respeito por parte do secretário, pois ela não está ali para “perseguir” ninguém, muito menos uma mulher. “Porém não vou aceitar o uso da máquina pública enquanto a cidade sofre com os desmandos dessa gestão”, finalizou.

Deixe um comentário