Para Agenor Mariano, todos os setores têm que participar da discussão e é “louvável” que eles queiram participar da construção do projeto

O recém-empossado secretário de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh), Agenor Mariano (PMDB), afirmou, em entrevista ao Jornal Opção, que o setor imobiliário tem direito de opinar no novo Plano Diretor, que será discutido neste ano. Segundo ele, a cidade “não é só de um grupo” e o projeto terá que ouvir toda a população.

[relacionadas artigos=”67425″]

“Toda a sociedade tem direito a se manifestar, a dar suas opiniões, cidade não é de um grupo só, nem tampouco de quem não se importa com ela”, disse Agenor. Na sua opinião, é “louvável” que este setor queira debater as questões do plano. “Uma multidão de conselheiros é que dá sabedoria, agora temos que atender o anseio de todos não de grupos específicos”, pontuou.

Na entrevista, Agenor ressaltou a importância do Plano Diretor e afirmou que o projeto precisa fazer um estudo urbanístico aprofundado para melhorar a cidade. “Precisamos ter um Plano Diretor com ordenamento urbanístico eficaz, e essas são uma das missões de que estamos encarregados. Esses nossos atos terão consequência 10, 20 anos após a aprovação desse planejamento”, declarou.

A suposta influência de grupos imobiliários na Câmara já é bastante criticada mesmo antes da discussão do Plano Diretor. Um grupo de vereadores de oposição ao presidente da Casa, Andrey Azeredo (PMDB), reclama que pessoas ligadas ao setor teriam influenciado na votação desde domingo (1º/1).

A gestão de Iris já foi, inclusive, alvo de intenso questionamento em Comissão Especial de Inquérito (CEI) das Pastas Vazias, a CEI das Pastinhas, que descobriu uma série de irregularidades na concessão de alvarás na capital. As denúncias feitas na CEI envolviam justamente o Plano Diretor, feito em 2007, que tornava mais rígidas as regras para construção na cidade.

Documentos levantados pelos vereadores revelaram que, durante a última gestão de Iris Rezende (PMDB), entre 2007 e 2010, construtoras protocolaram pedidos de alvará sem a documentação exigida, ou seja, pastas vazias, para conseguirem erguer suas obras segundo as regras do antigo Plano Diretor.

Importância do cargo

Na coletiva, Agenor também destacou a importância da secretaria. “Esta é uma pasta muito importante para o prefeito. Temos percebido que há um número crescente de pessoas que não têm casas para morar e ele solicitou que desempenhássemos papel importante nessa área para poder atender a sociedade”, afirmou ele.