Secretário de Educação de São Paulo pede demissão

Decisão foi tomada após governador Geraldo Alckmin anunciar a suspensão na reorganização das escolas estaduais 

São Paulo - O secretário da Educação de São Paulo, Herman Voorwald, deixa o cargo após suspensão da reorganização escolar. Na foto, o secretário em evento de 08/05/2013 (Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil)

O secretário da Educação de São Paulo, Herman Voorwald, deixa o cargo após suspensão da reorganização escolar. Na foto, secretário em evento de maio de 2013 | Foto: Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil

Herman Voorwald acaba de pedir demissão da Secretaria de Educação de São Paulo, nesta sexta-feira (4/12). Conforme informações da Folha de S. Paulo e do Estadão, o ex-secretário enviou uma carta de demissão ao governador, que acatou o pedido. Voorwald estava no cargo deste 2011.

A decisão do ex-secretário veio após Alckmin anunciar a suspensão na reorganização das escolas estaduais em meio a protestos e ocupações dos colégios por estudantes. De acordo com apuração da Folha, o recuo do gestor estadual foi sem o aval do então secretário — que anunciou o plano de mudanças nos colégios ao final do ano letivo.

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta sexta-feira (04/12) o adiamento da reorganização escolar | Foto: Du Amorim/ A2img

Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta sexta-feira (04/12) o adiamento da reorganização escolar | Foto: Du Amorim/ A2img

O plano de reorganização das escolas previa o fechamento de 93 escolas e a transformação de 754 unidades para escolas com etapa única — ou seja, teriam que adotar um dos três ciclos: ensino médio, anos finais (6º ao 9º) ou anos iniciais (1º ao 5º) do fundamental. No projeto, o argumento era de que os indicadores educacionais melhorariam.

Projeto teve oposição de professores e alunos de todo o Estado. Estudantes ocuparam diversas escolas, fizeram protestos nas principais avenidas de São Paulo e sofreram repressão por parte da polícia. De acordo com a Secretaria de Educação, atualmente 196 escolas estão tomadas por alunos. Após anúncio do governador, lideranças de alunos vão se reunir na tarde desta sexta-feira (4) para discutir se permanecerão nas escolas.

Deixe um comentário