Rebeldes pró-Rússia permitem acesso ao local da queda do Boeing da Malaysia Airlines

Grupo garantiu proteção na região durante as buscas e investigações. Governos da Alemanha e dos EUA pediram cessar-fogo imediato

Boeing 777 da Malaysia Airlines caiu na quinta-feira, no leste de Donetsk, na Ucrânia, região de conflitos | Foto: Reprodução/Internet

Boeing 777 da Malaysia Airlines caiu na quinta-feira, no leste de Donetsk, na Ucrânia, região de conflitos | Foto: Reprodução/Internet

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e a chefe de Governo da Alemanha, Angela Merkel, pediram o cessar-fogo imediato na Ucrânia a fim de garantir acesso seguro ao local onde caiu o avião da Malaysa Airlines, na quinta-feira (17/7). A solicitação é para facilitar a recuperação dos corpos, pois não houve sobreviventes, segundo autoridades.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, pediu na quinta-feira que tanto a Rússia quanto a Ucrânia suspendessem os bombardeios. Merkel justificou nesta sexta-feira (18) que a iniciativa permitirá uma investigação independente. “Para isto, um cessar-fogo é necessário e isto é crucial para que os responsáveis [pela tragédia] sejam levados à Justiça”, afirmou a alemã.

O governo norte-americano antecipou que vai trabalhar com os países envolvidos e seus parceiros nas organizações internacionais para determinar o melhor caminho a ser seguido.

Os investigadores terão acesso ao local, na Região Leste da Ucrânia, após os rebeldes pró-Rússia concordarem com a solicitação, sem obstáculos, de acordo com a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE). O grupo prometeu protegê-lo para permitir os trabalhos.

O governo norte-americano antecipou que vai trabalhar com os países envolvidos e seus parceiros nas organizações internacionais para determinar o melhor caminho a ser seguido.

O voo MH17 da Boeing 777 da Malaysia Airlines partiu da Holanda às 12h41 (horário local) com 295 pessoas a bordo, 283 passageiros e 15 tripulantes, e caiu em Donetsk, cenário de combates entre forças governistas da Ucrânia e os rebeldes pró-russos. Logo depois do acidente, os dois lados trocaram acusações pela queda do avião.

Segunda caixa-preta

Equipes de resgate recuperaram nesta sexta-feira uma segunda caixa-preta após buscas entre escombros espalhados na região. No entanto, os socorristas não precisaram se o equipamento é o que registrou as conversas da tripulação ou que armazena os dados técnicos do voo.

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) se reúne hoje em caráter de urgência para discutir a tragédia. O secretário-geral Ban Ki-moon havia pedido uma investigação “internacional completa e transparente”.

Mais cedo, os Estados Unidos afirmaram que a aeronave foi derrubada por míssil, conforme fontes do governo aos principais meios de comunicação do país.

*Com informações de agências de notícias

Deixe um comentário