Projeto de lei proíbe comercialização de frituras, doces e refrigerantes em escolas de Goiás

De autoria da deputada Adriana Accorsi, proposta quer fazer com que escolas ofereçam aos alunos lanches saudáveis e hábitos alimentares que previnam a obesidade

Projeto de lei da deputada estadual Adriana Accorsi, do PT, apresentou um projeto de lei que proíbe a comercialização, nas escolas do ensino médio e fundamental da rede pública estadual de ensino, frituras, doces, refrigerantes e outros alimentos.

Segundo a petista, o projeto tem como objetivo fazer com que as unidades escolares públicas ofereçam aos alunos lanches saudáveis e hábitos alimentares que previnam a obesidade.

Pelo projeto, também estaria proibida a comercialização de biscoitos recheados, sucos artificiais, pipoca industrializada, bebidas alcoólicas e alimentos industrializados cujo porcentual de calorias provenientes de gordura ultrapasse 10% das calorias.

A proposta foi apresentada na Assembleia Legislativa de Goiás na última terça-feira (22/3) e amplia a Política Estadual de Educação Alimentar e Nutricional do Estado, vigente nas escolas públicas do Estado de Goiás.

“O projeto tem como objetivo fazer com que as unidades escolares públicas ofereçam aos alunos lanches saudáveis, compostos por alimentos naturais, incluindo frutas, verduras, legumes, laticínios, produtos à base de fibra, além de produtos com baixo teor de açúcar, sal e gordura”, explica Adriana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.