Sob acusações de desvios, secretária diz que não se “brinca” com alimentação de criança

Neyde Aparecida anunciou criação de uma comissão especial pela Prefeitura de Goiânia para averiguar denúncias sobre a merenda escolar

Secretária municipal de Educação, Neyde Aparecida  (PT) | Foto: reprodução / Facebook

Secretária municipal de Educação, Neyde Aparecida (PT) | Foto: reprodução / Facebook

A secretária municipal de Educação e Esporte, Neyde Aparecida, anunciou, na tarde desta terça-feira (23/6), a instauração de uma comissão especial pela Prefeitura de Goiânia para averiguar denúncias de desvios na merenda escolar de Goiânia. O grupo terá o prazo de 30 dias para esclarecer as acusações feitas pelos vereadores de oposição Elias Vaz (PSB) e Djalma Araújo.

Alvo das acusações, a secretária ocupará o cargo de presidente da comissão, que também é formada pelo procurador-geral do município, Carlos de Freitas, controlador-geral do município, Edilberto Dias, e pelo secretário municipal de Administração, Valdi Camárcio.

Como mostrado com exclusividade pelo Jornal Opção Online no último mês, há forte indícios de que a prefeitura estaria comprando alimentos, mas que estes não estariam chegando, de fato, às escolas. De acordo com dossiê apresentado por Elias Vaz, há uma discrepância “enorme” entre o relatório global que foi entregue pela SME e os relatórios apresentados pelas escolas.

Em entrevista à imprensa, a secretária afirmou que qualquer irregularidade averiguada pela comissão será prontamente sanada e os envolvidos responsabilizados.  “Não se brinca com alimentação de criança”, frisou. “Não haverá complacência”, acrescentou o procurador-geral do município, que acompanhava Neyde Aparecida durante entrevista.

A titular alegou também que, diferentemente do que foi apresentado pelos vereadores, denúncias envolvendo a merenda escolar por parte de diretores das unidades educacionais jamais chegaram até à Ouvidoria do município. “O que temos são reclamações pontuais sobre demora na distribuição dos alimentos, mas todas são prontamente resolvidas”, argumentou.

Conforme adiantado pelo Jornal Opção Online, Neyde Aparecida confirmou o afastamento do diretor do Departamento de Alimentação Educacional (Dale) da SME, Wesley Batista, e de outros funcionários da pasta. Até o fim dos trabalhos da comissão, a própria secretária irá responder pelo setor.

Dossiê

De acordo com o vereador Elias Vaz, ao perceber a investigação, a Secretaria Municipal de Educação informou que havia repassado informações erradas sobre os relatórios específicos de fornecimento para cada escola, o que colocaria em descrédito o dossiê apresentado pelo legislador.

“Os novos relatórios enviados pela Secretaria conferem agora com os documentos enviados pelas escolas, mas são incompatíveis com o relatório geral que a prefeitura me enviou inicialmente”, explicou Elias Vaz.

Os documentos elencados pelos parlamentares mostram dados preliminares de novembro de 2014 a abril deste ano, quando pelo menos 190 mil quilos de carne teriam sido comprados pela secretaria — comandada por Neyde Aparecida (PT) –, mas não chegaram às escolas da rede municipal.

2 respostas para “Sob acusações de desvios, secretária diz que não se “brinca” com alimentação de criança”

  1. Mauro de Oliveira disse:

    A transparência começa com a formação de uma auditoria independente e externa. Se essa comissão achar alguma falha, quando há integrantes sendo acusados, seus componentes são, no mínimo burros … Ta cheirando raposa vigiando galinheiro … com mil perdões …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.