Políticos e familiares dão último adeus a Nion Albernaz

Ex-prefeito foi enterrado no Cemitério Santana

Este slideshow necessita de JavaScript.

O corpo do professor e ex-prefeito de Goiânia Nion Albernaz (PSDB) foi enterrado na manhã desta quinta-feira (7/9), no Cemitério Santana.

O tucano estava sendo velado desde a noite da última quarta (6), no Palácio das Esmeraldas, na Praça Cívica, no Centro de Goiânia.

Familiares e amigos prestaram as últimas homenagens em uma solenidade marcada por tristeza. O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), o vice-governador, José Eliton (PSDB), o presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti (PSDB), fizeram questão de levar o caixão no cortejo. Neto e espólio político do ex-prefeito, Thiago Albernaz (PSDB) também acompanhou a comitiva.

História

Nion Albernaz nasceu na Cidade de Goiás em 15 de abril de 1930. Sobrinho da poetisa Cora Coralina. Antes de se tornar prefeito de Goiânia, foi eleito vereador em 1956 e secretário municipal da Fazenda por duas vezes (de 1966 a 1968 e em 1979), tendo sido idealizador das companhias municipais Comurg e Dermu, por entender que a prefeitura deveria ter órgãos destinados exclusivamente à requalificação urbana. Essa visão administrativa de planejar, requalificar e modernizar a vida na cidade seria sua principal marca enquanto gestor.

Seu primeiro mandato como prefeito foi de 1983 a 1986, sendo que neste último ano foi eleito deputado federal mais votado de Goiás para a Assembleia Nacional Constituinte. Foi reconduzido à prefeitura em 1988.

Participou da fundação do PSDB em Goiás na década de 1990 e foi eleito para mais uma vez assumir o comando da prefeitura em 1996, quando criou o projeto Trabalhando com as Mãos de qualificação profissional e reinserção social. Pela iniciativa foi premiado pela ONU. Em sua residência em Goiânia e na fazenda de Morrinhos existem vários móveis e objetos de decoração produzidos pelos aprendizes do projeto.

Como prefeito, Nion tinha o hábito de circular por todos bairros da capital para verificar in loco os problemas da cidade. Com um rádio amador no carro, ele fazia contato com seus secretários para determinar providências emergenciais a serem tomadas e conversava com os moradores sobre soluções para sua região. Enfrentou grandes desafios urbanísticos, como a construção da Avenida T-63, a primeira etapa da Marginal Botafogo e o primeiro trecho da Marginal Cascavel, com o intuito de preparar a cidade para o crescimento. Construiu, ainda, a Maternidade Nascer Cidadão, referência nacional de atendimento humanizado nas décadas de 1990 e 2000.

“Se Paris pode ser a Cidade Luz, por que Goiânia não poder ser a Cidade das Flores?” Com esse insight relatado em várias de suas entrevistas, professor Nion elevou Goiânia ao status de capital mais bonita do País. Ele costumava dizer que era preciso que o cidadão tivesse orgulho do lugar em que vive. Além de mudar a cara da cidade em bairros nobres e também naqueles considerados de periferia, fez um exercício educativo: sempre que uma flor era arrancada outra era plantada no mesmo local até que toda a vizinhança passasse a cuidar em conjunto de sua própria cidade.

No auge de seu vigor físico e sua experiência administrativa abandonou a vida pública para “abrir espaço para as novas gerações, para que a gestão pública possa se modernizar”. Foi um craque como Pelé e Michael Jordan, que se aposentaram no auge da carreira.

Só viria a participar ativamente, mais tarde, de duas eleições: a do único herdeiro de seu legado, seu neto Thiago Albernaz. Inspirado pelas lições do avô, participou do movimento estudantil desde o ensino médio, aos 16 anos, e foi eleito o vereador mais jovem da capital aos 22 anos, em 2012. Foi candidato a vice-prefeito em 2016 e hoje é presidente do PSDB Metropolitano.

Nion era filho de Nicanor Garcez Albernaz e Ondina de Bastos Albernaz. Teve quatro filhos com Oscarlina Jayme, além de oito netos e três bisnetos. Casou-se na década de 1980 com Dona Geralda Albernaz, com quem compartilhou grande parte da vida até seus últimos dias. Encerrou sua jornada sem jamais perder a serenidade. Nesta quarta-feira, véspera do Dia da Independência do Brasil, fez seu passamento em casa, em paz, próximo das pessoas que amava. Estava sorridente mesmo em seus últimos momentos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.