PMs que agrediram advogado ganham vaquinha organizada na internet

Dinheiro será destinado ao pagamento da defesa dos militares e é liderada por colegas. Ação ocorreu em camelódromo da Praça da Bíblia

Advogado foi agredido por PMs em julho. | Foto: reprodução

Os policiais militares que respondem a um processo na Justiça por terem torturado o advogado Orcélio Ferreira Silvério Júnior, em julho, em frente ao camelódromo da Praça da Bíblia, em Goiânia, estão recebendo uma ajuda financeira por meio de uma vaquinha organizada na internet para que eles possam arcar com os custos de suas defesas. Desde o momento da criação da campanha por parte de outros policiais que alegam que a ajuda aos “irmãos de farda”, até hoje, já foram arrecadados R$ 4,3 mil para os acusados. 

Relembre o caso
Orcélio foi agredido depois de tentar defender um flanelinha que estava em frente ao camelódromo. Os policiais afirmaram que haviam recebido denúncias de que o vigia de carros estaria praticando extorsão e ameaça. Ao interceder na confusão que se formava, Orcélio acabou sendo algemado e arrastado pela rua, enquanto levava socos e tapas. 

Posteriormente, o advogado ainda chegou a afirmar que foi agredido por policiais no pátio da delegacia a que foi levado e também durante o procedimento de triagem. De acordo com Orcélio, ele chegou a pedir socorro durante as sessões de tortura, mas não foi atendido por ninguém. 

A seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO) chegou a denunciar o caso em questão à Organização das Nações Unidas (ONU). O governador Ronaldo Caiado (DEM) também chegou a se manifestar afirmando que a conduta dos policiais foi “excessiva”. 

Uma resposta para “PMs que agrediram advogado ganham vaquinha organizada na internet”

  1. Avatar willian disse:

    Quando vc ver uma confusão passa longe, por que as vezes pode sobrar alguma coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.