Polícia francesa nega que haja dois mortos em sequestro

Informações atestam que duas pessoas foram mortas na loja judaica

Suspeitos de estarem com cinco ou seis reféns em mercado judeu na França / Reprodução Twitter

Suspeitos de estarem com cinco ou seis reféns em mercado judeu na França / Reprodução Twitter

Foram divulgadas informações de que duas pessoas haviam sido mortas no sequestro no mercado judeu na França, onde uma dupla mantém pelo menos cinco pessoas, entre mulheres e crianças, são mantidas reféns. Conforme a BBC, um policial informou que duas pessoas foram mortas logo que um dos sequestradores entrou na loja. A polícia francesa, entretanto, negou a informação.

O sequestro teve início enquanto a polícia tentava negociar com os irmãos Chérif e Said Kouachi — apontados como os outros dois suspeitos de terem participado do ataque ao jornal Charlie Hebdo — em uma gráfica em Paris. A informação é de que eles estão com um refém. Ele disseram que estão prontos para morrer, conforme informações da BBC.

A Prefeitura da capital francesa divulgou a imagem de um casal como sendo responsável pelo sequestro: são eles Hayat Boumeddiene e Amedy Coulibaly. Acredita-se que Amedy seja o homem que matou a policial em Montrouge.

A polícia ordenou que todos os mercados judeus da proximidade sejam fechados imediatamente. Segundo o Daily Mail, o terrorista estaria pedindo que os irmãos Kouachi sejam libertados imediatamente.

“Estou na Loja. Eu te amo”

De acordo com o jornal New York Times, uma mulher que está sendo mantida refém dentro da loja, conseguiu ligar para sua filha — que informou à emissora Europe 1 da ligação recebida. “Eu estou na loja. Te amo”, teria dito a mulher.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.