PC prende 19 alunos de medicina suspeitos de ingressarem no curso com documentos falsos em Goiás e na Bahia

As investigações apontaram que foram falsificados documentos de oito instituições de ensino superior de medicina no Brasil

Operação da PC | Foto: Divulgação/PC

A Polícia Civil do Estado de Goiás deflagrou nesta quarta-feira, 27, a Operação Clandestinus que prendeu temporariamente, 19 alunos de medicina suspeitos de ingressarem no curso com documentos falsos. Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram cumpridos em Goiás nas cidades de Goianésia e Formosa e no estado da Bahia.

De acordo com a Polícia Civil, os suspeitos ingressaram em cursos superiores de medicina, através de transferência externa, ou seja, entre faculdades, para a Universidade de Rio Verde com a apresentação de documentos falsos. As investigações apontaram que foram falsificados documentos de oito instituições de ensino superior de medicina no Brasil, as quais confirmaram as irregularidades.

Todos os suspeitos conseguiram vagas em processos seletivos de transferência externa nos períodos finais do Curso de Medicina, restando que alguns deles, atualmente, já estavam na fase internato, ou seja, atendendo à comunidade na prestação pública de serviço médico de emergência gerando risco à vida ou à saúde das pessoas atendidas.

A Universidade de Rio Verde (UniRV) disse em nota que identificou fortes evidências de fraude documental praticada por alguns dos candidatos no processo de transferência.

Veja a íntegra:

A Universidade de Rio Verde UniRV informa que, infelizmente, identificou fortes evidências de fraude documental praticada por alguns dos candidatos nos processos de “Transferência Externa” para os cursos de Medicina oferecidos em nossa Instituição.

A documentação, com fortes indicios de falsificação, consiste em “históricos escolares” e demais impressos necessários à comprovação de matricula como aluno regular em cursos de graduação de medicina em Instituições de Ensino brasileira, pública ou privada, devidamente autorizadas e/ou reconhecidas pelo Ministério da Educação – MEC/Brasil ou Órgão delegado por Lei.

Diante das suspeitas, como procedimento rotineiro em processos de transferência, a UniRV formalizou contato com as Instituições de Ensino que, supostamente, seriam as instituições de “origem” dos candidatos à transferência, porém, lamentavelmente, obteve a confirmação da irregularidade da documentação apresentada por vários dos pretendentes.

Assim que as confirmações de irregularidades foram sendo entregues à UniRV, entramos em contato com a Autoridade Policial competente, que assumiu o caso e nos orientou na continuidade dos procedimentos de transferência, de maneira a não atrapalhar os trabalhos de investigação.

Diante da deflagração da Operação Policial “Clandestinus” na data de hoje, a partir de agora, a UniRV tomará as devidas providências no âmbito administrativo (interno) para a expulsão daqueles que se matricularam indevidamente.

A UniRV cumprimenta todos os policiais envolvidos na operação e, em particular, o trabalho da Policia Civil de Rio Verde, na pessoa do Delegado Dr. Danilo Fabiano Carvalho, ao mesmo tempo em que manifesta total repúdio às atitudes criminosas e antiéticas para acesso a cursos de nivel superior, em específico à medicina, cujas preocupações morais dos candidatos e demais envolvidos deveriam estar acima de qualquer outro desejo.

A Universidade de Rio Verde também entende que, ao identificar e contribuir para desmantelar esse esquema criminoso, demonstra sua preocupação e seriedade na condução de seus processos seletivos de admissão de alunos e, especialmente, com a qualidade e a ética na formação dos profissionais do amanhã.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.