Organização Social assume gerência do Hugo 2 e processo para a contratação de funcionários já está aberto

A unidade vai ser inaugurada no final de setembro. O acordo assinado nesta sexta tem o valor mensal de R$ 15,02 milhões

O contrato do governo com a Organização Social Associação Goiana de Integralização e Reabilitação (Agir), para que a entidade possa gerir o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugo 2), foi assinado nesta sexta-feira (18/7) no auditório do Palácio Pedro Ludovico Teixeira. Segundo o secretário de Saúde, Halim Girade, a unidade será entregue no final de setembro. Todos os equipamentos já foram comprados e estão sendo instalados.

O superintendente da Agir, Sérgio Daher, explica que o Hugo 2 entrará em funcionamento de forma progressiva, começando com 40% de sua capacidade. “Para um hospital desse porte, há todo um planejamento para colocá-lo em funcionamento a cada período, até chegar a capacidade máxima”, disse.

O acordo assinado nesta sexta tem o valor mensal de R$ 15,02 milhões, com vigência de 48 meses, com possibilidade de prorrogação pelo mesmo período. Para que isso ocorra, porém, a Agir deve obter avaliação positiva da Secretaria da Saúde (SES) e da Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR). A vigência começa a partir da publicação da outorga, pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), no Diário Oficial do Estado.

O processo para a contratação dos mais de dois mil profissionais que atuarão no hospital já começou e vai até o dia 27. As vagas são para níveis fundamental, médio e superior e  realizadas prova objetiva e análise curricular. Os interessados devem acessar o site da UEG para realizar o cadastro.

O Hugo 2 vai ter o mesmo perfil de alta complexidade que o Hugo, que funciona no Setor Pedro Ludovico, priorizando atendimentos em urgência e emergência  em trauma e neurologia. Também atenderá urgências clínicas, como apendicite, pneumonia e úlcera gástrica. Contará com 13 leitos exclusivos para queimados e terá, ao todo, 485 leitos (80 de UTI), centro cirúrgico com 22 salas, auditório para 60 lugares, heliporto e estacionamento para mil vagas.

O hospital terá banco de sangue, e fará broncocospia (endoscopia da árvore brônquica). Ambulatório e atendimento aos pacientes que passaram por cirurgias também serão prestados na unidade. Para diagnósticos complexos, a unidade oferecerá exames de tomografia, ultrassonografia, eletrocardiograma, ecocardiografia com ecodoppler, endoscopia, videolaparoscopia, análises clínicas, anatomia patológica e terapia renal substitutiva. O Hugo 2 terá capacidade para realizar até mil atendimentos por dia, e  funcionamento 100%  via Sistema Único de Saúde (SUS).

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.